sexta-feira, 17 de abril de 2015

Obreiros do amor e misericórdia


               



Nilton Zebrak já trabalhava com Dr. Chan – um dos mentores espirituais da OAM ("Obreiros do Amor e Misericórdia") – há cerca de 6 anos quando, em 2009, por orientação do plano espiritual, iniciou os preparativos para a criação de uma nova Casa Espírita. Ela deveria se instalar numa região na qual a natureza ainda estivesse preservada, mais especificamente no bairro de Itatuba, em Embu das Artes.
Foi assim que, em Junho de 2009, liderado por Nilton, um pequeno grupo adquiriu um terreno de
2.700 m² no qual foi erguida, literalmente com as próprias mãos, a primeira sede da OAM – a hoje famosa “Casinha”.
Estava lançada a pedra fundamental da OAM, nome inspirado por Dr. Chan – assim como o seu logotipo – e que tem por missão, segundo as palavras de Nilton, “O atendimento na cura; tornar pessoas mais felizes, pessoas mais responsáveis pelo seu destino; responsabilizar cada um por sua oportunidade de evolução”.
Cristã, antes mesmo de espírita, a OAM preza todas as religiões, sem exceção, e é a favor do Universalismo Crístico.
“Era uma casa muito engraçada, não tinha teto, não tinha nada…” – foi mais ou menos assim que a OAM começou suas atividades internas em Janeiro de 2010, com15 trabalhadores com Nilton, Carla, Lu e Aldair à frente. Eram 42m², com piso de terra, sem janelas, portas ou bancos. Em Abril de 2010 iniciaram-se os trabalhos para os assistidos, com Dr. Chan fazendo cerca de 30 atendimentos por domingo, único dia em que a Casa abria para o público. Em meados desse ano, já atendendo cerca de 50 assistidos por domingo, Dr. Chan solicitou que a Casa abrisse também nas sextas-feiras.
A estruturação das operações da Casa ganhou fôlego no segundo semestre desse ano, tanto no que se refere aos trabalhos espirituais quanto ao aspecto material da Casa. Os trabalhos de desobsessão começaram em Agosto e, à época do Natal, a marca dos 100 atendimentos num único dia foi ultrapassada.
Dois mil e onze foi um ano de grandes transformações. Logo no início do ano os atendimentos passaram a ser feitos nas sextas-feiras e nos sábados.
Posteriormente, em função do crescimento do número de atendidos, a Casa passou a receber o público também nas terças-feiras. Novos trabalhadores chegaram, também agregando novos médicos espirituais – Dr Musch, Dr. Raju, Dr. Friederic, Dr. Rudolf, Dr Juan e outros. Visando o aprimoramento dos seus trabalhadores, a OAM convidou especialistas que ministraram palestras abordando, principalmente, temas espirituais e da área da saúde. Foi realizado ainda o primeiro curso da OAM para trabalhadores, focado no estudo das Leis Morais da doutrina espírita, com aulas que se valiam de metodologia participativa.
Marco importante foi a realização do primeiro WORKSHOP INTER-RELIGIOSO da OAM, evento cuja origem remonta ao início dos trabalhos de Nilton com Dr. Chan, em 2003, e que é parte do “DNA” da Casa. A persistência de Nilton frutificou, após longo período de esforços e tentativas, na forma de uma bem sucedida série de workshops com crescente repercussão nos meios religioso e científico.
Primeira sede da Obreiros - a famosa "casinha" que se transformou na "A Casa do Tio João" - lar
para ex-moradores de rua




Dr.Chan







Em Julho de 2011, nova mudança. A OAM recebeu, em regime de comodato, as instalações da Casa do Caminho, organização filantrópica fundada em 1995 e que acolhia menores encaminhados por varas da Infância e da Juventude. São cerca de 3.000m² de edificações em terreno de 10.000m². Nilton recebeu da espiritualidade a intuição de tudo o que deveria ser feito nas novas instalações, inclusive quanto às reformas, que começaram em 1 de Setembro de 2011. Os atendimentos na”Casinha” foram realizados até 13 de Janeiro de 2012; no dia seguinte a OAM já operava na sua nova sede.
Em Fevereiro de 2012 a OAM iniciou a primeira turma de seu Curso Doutrinário, formatado pela Casa em conjunto com a Sociedade Espírita de Cotia (SEC), baseado no material da Federação Espírita Brasileira (FEB), o Estudo Sistematizado da Doutrina Espírita (ESDE), ministrado por instrutores da própria SEC e freqüentado por cerca de 200 alunos.
Além dos tratamentos de cura, a OAM tem, desde sua fundação, um grande foco na assistência aos menos favorecidos, atuando independentemente ou em parceria com outras instituições. Atendendo cerca de 3.000 pessoas por mês – dados de Abril de 2012 – e tendo como meta 5.000 atendimentos mensais, a OAM segue expandindo o leque de ações assistenciais.

Em Abril de 2012 a OAM começou a produzir fraldas descartáveis infantis e geriátricas destinadas aos assistidos por entidades apoiadas pela Casa.
Em Maio de 2012 teve início o trabalho de atendimento aos moradores de rua de Embu das Artes, com a distribuição diária de alimentos, cobertores, roupas e calçados.

A “Casinha” foi cedida, em regime de comodato, a João Fernandes Clemente e transformada na Casa do Tio João. Inaugurada em 17 de Junho de 2012, é um lar para ex-moradores de rua com capacidade inicial para 6 pessoas podendo abrigar num futuro próximo até 12 moradores. Foi concebida para permitir que eles também trabalhem no mesmo espaço, com horta, pomar, criação de galinhas, cabras etc. Muito mais do que um abrigo, a Casa do Tio João é uma obra voltada para a recuperação e reinserção social de seus moradores.
Os planos para a construção do hospital da OAM seguem acelerados. Especializado em doenças neurológicas degenerativas em crianças e idosos, terá como diferencial a promoção do convívio destes pacientes num mesmo espaço físico.

Como diz Dr. Chan: - Vamos trabalhar!
 http://www.obreirosamoremisericordia.com.br/historico.htm

Minha lista de blogs

Visualizações de página do mês passado

Páginas