sábado, 23 de abril de 2011

AURA




Objetos Costumam ser dotadas de pouco energia ou emitir vibrações ruins.



Azul

Pessoas - Indica paz interior, harmonia, saúde e equilíbrio, bem-estar, descando, e autoconfiança. Geralmente se manifesta com maior intensidade após o ato sexual satisfatório e durante o sono.

Animais-É sinal de felicidade e de satisfação com o tratamento que vêm recebendo do dono.

Plantas - Indica propriedades tranqüilizantes e analgésicas.

Objetos - Pode ser interpretado como uma emanação de fluidos positivos.



Cristal

Pessoas-Imdica dons telepáticos, poder de cura, paranormal idade, pureza e bondade. Costuma se manifestar com maior força nas mãos de massagistas que lidem com cura.

Animais-É sinal de capacidade de adaptação

Plantas-Tanto pode significar positividade quanto falta de vigor e venerabilidade.

Objeto-Expresso o poder de receber e emanar energias



Dourado

Pessoas - Indica espiritualidade elevada e prosperidade. Ela surge com amis intensidade na região do tórax, pois esta associada ao amor.

Animais-Expressos felicidade.

Plantas - Simboliza a suavidade e fluidos positivos.

Objetos-Mostra que foram tocados por uma pessoa bem intencionada



Laranja

Pessoas - Indica capacidade de realização, sensualidade, bia saúde, versatilidade e dinâmica.

Animais-É sinal de manifestação dos instintos (fome, sede, desejo sexual).

Plantas - Indica a produção de sementes e flores.

Objetos-Expressos um grande potencial energético (é comum em sinos e objetos religiosos em geral).



Verde

Pessoas - Indica saúde e vigor. Esse tom costuma aparecer com mais intensidade na região da cabeça, pois esta acossiada a atividade mental

Animais-Indica mansidão

Plantas-Demostra a emissão de forte ondas de energia positiva, sendo muito comum nos vegetais dotados de propriedades curativas.

Objetos-São uma autentica fonte de passividade. Costumam apresentar este tom depois de terem sido tocados por uma pessoa que esta de bem com a vida.



Vermelho

Pessoas-Indica vitalidade, exitação, coragem e forte energia sexual, porém se estiver concentrada em um determinado ponto, pode ser algum sinal de disturbio.

Animais-Exprime estinto e vigor.

Plantas-Está associada ao crescimento.

Objetos-Indica que eles foram tocados por alguém que estava entusiasmada ou ansiosa e que os deixouempreguinados de energia.



Violeta

Pessoas-Expressão de poderes mediunicos, capacidade de compreenção, saúde e mente equilibrada.

Animais-Satisfação e felicidade.

Plantas-Sinal de uma força positiva.

Objetos-Indica uma forte concentração energetica, e geralemente se manifesta depois que o objeto foi tocado por uma pessoa espiritualmente evoluida





O que é Aura



A AURA é a manifestação conjunta do corpo, da alma e da mente dos seres humanos, que se revela em torno de nos em forma de luz. Os raios cósmicos.

entram pelo lado esquerdo - de polaridade negativa - num sentido ascendente, sobem pelo lado direito - positivo - e permanecem em constante circulação.

Essa luz está distribuída em três campos: o etéreo, o emocional e o mental.

O campo mais próximo do corpo, o etéreo, é de um amarelo pálido, às vezes misturado com tons prateados. Sua função é defender o corpo de todas as maneiras possíveis.

Ao redor do campo etéreo temos o emocional, a parte da aura em que as emoções e suas repercussões ficam "impressas". O amor, o ódio, a saudade, tristeza, enfim todo tipo de sentimento fica nesta camada.

A terceira parte da aura é a mental. Sua cor depende de nossos pensamentos.

Uma simples mudança de pensamento altera a cor de nossa aura. Quando está carregada de energia negativa, pode envenenar a atmosfera do individuo, bem como seus objetos de uso pessoal, sua casa, o ambiente de trabalho, e deixa. um rastro de impurezas ao longo de um percurso feito.

É na aura que tudo começa em nossas vidas. Uma doença, por exemplo, instala-se primeiro em nossa aura.

A aura é constituída de células astrais minúsculas, onde tudo pode ser gravado. Quando assistimos a um filme, todas as imagens ficam "presas" em nossa aura e por algum tempo nos sentimos envolvidos pela historia, como se fizéssemos parte dela, influenciados pela energia dos atores e do ambiente em que o enredo se desenrola. Por esse período de tempo, nosso humor e nossas decisões começam a ser modificados sutilmente, sem que o percebamos.

De qualquer forma, com a luz do sol todas essas imagens vão sendo desfeitas, pois ficam gravadas de muito leve. Não é o que acontece com as cenas trágicas de nossas encarnações anteriores, que ficam gravadas fortemente em nossa aura e só podem ser liberadas quando desenvolvemos um trabalho serio de recordação de vidas passadas.





Aura e Clarividência



Sobre o tema "Aura e Clarividência", postarei aqui algumas considerações

pertinentes:



1. Aura (do latim: "aura": "sopro de ar"): É o campo energético que apresenta-se em torno do corpo denso. Aparece à percepção parapsíquica do clarividente como um campo luminoso mesclado por várias cores. Essas cores refletem a qualidade dos pensamentos e sentimentos manifestados pela consciência.



2. A aura apresenta várias camadas vibratórias correspondentes aos diversos corpos (veículos de manifestação da consciência) por onde a consciência manifesta-se nos vários planos.



3. Para facilitar, vamos dividi-la em três freqüências básicas:



A. A aura do corpo físico, também denominada duplo etérico (Teosofia), corpo vital (Rosacruz), pranamayakosha (Vedanta), holochacra (Conscienciologia), corpo bioplásmico ou bioplasmático (pesquisadores russos) ou simplesmente corpo energético (pesquisadores ocidentais). Essa aura reflete apenas as condições do corpo físico no momento e suas predisposições energéticas. Contudo, é bom lembrar que o soma (Grécia: "soma": "corpo") é afetado diretamente pelo clima psíquico dos corpos sutis.



B. A aura do corpo extrafísico, também chamada de alma. É a aura do corpo espiritual (Cristianismo; Paulo de Tarso, Cor. I , Cap. 15, vers: 44), também denominado corpo astral (Teosofia), perispírito (Espiritismo), psicossoma (Projeciologia), corpo de luz (Ocultismo), corpo psíquico (Rosacruz), corpo bardo (Tibetanos), thanki (Chineses), kha (Iniciados Egípcios) ou corpo não-físico (pesquisadores ocidentais). Essa aura reflete as condições psíquicas e parapsíquicas da consciência. Reflete diretamente as emoções do ser humano.



C. A aura do corpo mental, também chamada de aura mental ou aura dos pensamentos. É a aura que reflete diretamente o clima interno de nossos pensamentos e idéias. O corpo mental (Teosofia) também é denominado mentalssoma (Conscienciologia), manomayakosha (Vedanta), corpo dos pensamentos ou simplemente mente. Essa aura reflete o clima mental de uma consciência. Nessa aura é possível perceber as formas-pensamento e suas cores.



4. Obviamente que a foto Kirlian apenas mostra a repercussão energética no soma e no duplo etérico, freqüências mais densas e passíveis de mensuração. Acho que a disparidade entre as percepções de sensitivos e das fotos em questão deve-se a que a foto Kirlian reflete principalmente o duplo energético, enquanto que os sensitivos muitas vezes estão percebendo a aura dos corpos mais sutis. Até mesmo entre sensitivos existe diferenças nos níveis de percepção parapsíquica.



5. Na natureza tudo é energia. A matéria é energia condensada; a energia é matéria em estado radiante. Logo, tudo é energia em graus variados de densidade. Desde o sutil até o mais denso, tudo é energético e natural.



6. O estudo das capacidades parapsíquicas do ser humano não tem nada de sobrenatural, pois são capacidades latentes e inerentes a todos os seres, independentemente de raça, sexo, cultura ou religião. Sobrenatural é a ignorância humana sobre a naturalidade da vida!



7. Muitas vezes, um sensitivo sem muitas informações técnicas para embasar suas percepções, percebe coisas pelas vias telepáticas, intuitivas, clariaudientes ou mediúnicas e chama-as de clarividência.



8. O fato de alguém apresentar percepções parapsíquicas desenvolvidas não garante que ela seja inteligente ou desenvolvida espiritualmente. Desenvolvimento parapsíquico não é desenvolvimento espiritual. Isso explica porque alguns sensitivos são canalhas e até piores do que muitas pessoas sem percepção nenhuma.



9. O desenvolvimento espiritual demanda esforço no trabalho de aprimoramento consciencial, demanda crescimento interno e ampliação do amor, lucidez, maturidade, alegria, modéstia, respeito, autoconhecimento, paz íntima, generosidade, equanimidade e luz no coração. Tudo isso leva a autêntica sabedoria, que não é encontrada em curso algum, nenhum guru pode realizá-la por alguém, não é alcançada no estudo de livro algum, não pertence a instituição humana alguma e nem é encontrada em meio a fenômenos parapsíquicos sem o equilíbrio necessário a maturidade real.



10. Da mesma forma, o fato de alguém ser um pesquisador desses temas não garante que ele seja uma maravilha de serenidade, amor e consciência manifestados. Há muitos pesquisadores baseados apenas no intelecto inferior. São refratários a inteligência superior, cósmica, abrangente, não limitada por parâmetros convencionais de percepção. Ou seja, são pesquisadores limitados. Não suportam manifestações de amor e alegria, que para eles não passa de imaturidade emocional das pessoas. Na verdade, muitos desses pesquisadores são covardes e têm medo de exporem suas fragilidades internas mediante a abertura de seus corações às ondas do amor. Conheço pesquisadores teóricos de várias áreas que odeiam sensitivos desenvolvidos. Será por que os sensitivos têm na prática o que o teórico só sonha na teoria?



11. De um lado temos os pesquisadores teóricos, que acham que sabem explicar tudo, mas que não sentem nada praticamente em si mesmos. Do outro lado, os sensitivos que não estudam para entenderem melhor os mecanismos de suas percepções e vivências parapsíquicas. O pesquisador necessita de grandes doses de modéstia, de abertura mental, de ética e de generosidade em suas abordagens. O sensitivo precisa de muito estudo, conhecimentos generalizados, boa vontade em crescer e também de muita modéstia.

E os dois precisam muito (incluo-me nisso também) de um monte de luz no coração, amor nos objetivos, alegria na manifestação diária e muito discernimento em seus pensamentos, sentimentos e atos.



12. Clarividência (do latim: "clarus": "claro"; "Videre": "Ver"): É a capacidade supranormal, parapsíquica, de perceber imagens independentemente do concurso dos sentidos da visão normal (vidência). Essa capacidade é anímica e natural (lembrando que vários animais percebem auras e espíritos), não é mediúnica, pois reside na própria capacidade dos chacras frontal e coronário, que por sua vez, estão conectados as duas principais glândulas do sistema endócrino: pineal (epífise) e hipófise (pituitária). Seres extrafísicos podem ajudar uma pessoa a desenvolver a clarividência, incrementando energias no chacra frontal, contudo, independentemente deles, o potencial clarividente é da própria alma (faculdade anímica).



13. Para entendermos a clarividência, vamos ver como funciona a vidência (visão normal, percepção visual natural). Para vermos alguma coisa, dependemos da reflexão da luz em cima de algo. Sem luz não conseguimos enxergar. É mais fácil explicar por exemplos: - Se dispararmos um tiro de um revólver calibre 22 em cima de três alvos diferentes, veremos repercussões diferentes na trajetória do projétil:



a) Bala calibre 22 X Uma parede de granito: a bala ricocheteiará. Será refletida.



b) Bala calibre 22 X Um pudim de leite condensado: a bala atravessará o pobre do pudim (aliás, isso seria um crime hediondo, inafiançável, destruir pudim dá carma...)



c) Bala calibre 22 X Uma lista telefônica da cidade de São Paulo: a bala ficará presa dentro da lista, pois a mesma, sendo bem grossa, absorverá o impacto.



Usando esses exemplos como analogia, podemos dizer que a incidência dos fótons (partículas luminosas) nos objetos se comporta de maneira semelhante. Por exemplo:



a) A luz incidindo sobre um objeto denso, como a parede, o corpo humano ou uma tela branca, será refletida. Havendo reflexão da luz, o objeto em questão será percebido pela visão normal.



b) A luz incidindo sobre algo transparente, como uma placa de vidro, a água ou partículas de água em suspensão na atmosfera (daí o surgimento das cores do arco-íris) será refratada, atravessará aquilo. Esse é o motivo pelo qual muitas pessoas que moram em prédios com portas de vidro estão sempre batendo de frente nelas. Quando a luz atravessa um objeto fica difícil percebê-lo pela visão normal.



c) A luz incidindo sobre um vidro fumê será absorvida (por isso esse vidro é escuro).



Resumindo: a visão normal (vidência) depende da reflexão da luz em cima de algo. Vidente é quem vê! Se você está lendo essas linhas, então você é vidente (aquele que vê). Por uma questão de confusão semântica, muitas pessoas chamam o clarividente de vidente.



14. Por motivos óbvios, o cego não é vidente. Entretanto, pode ser clarividente. Conheço um cego que percebe auras e espíritos facilmente. Ele só não consegue ver as pessoas e os objetos físicos. Inclusive, recentemente no meu programa da Rádio Mundial, uma ouvinte narrou no ar, que mesmo sendo cega de nascença, conseguia perceber os objetos em seu quarto nos momentos entre o sono e o despertar (estado alterado da consciência: hipnopompia) e também percebia seres espirituais. Isso também pode ocorrer nos momentos entre a vigília e o sono (estado alterado: hipnagogia).



15. Você que lê essas linhas é vidente e poderá ser um clarividente, caso ative as energias do seu chacra frontal. O cego não é vidente, mas poderá ser clarividente em alguns casos. Aliás, tudo isso é EVIDENTE!...



16. Se uma pessoa está vendo uma outra pessoa ou um objeto, isso é a sua vidência normal. Porém, se está vendo uma aura, algo à distância ou um ser espiritual, que não refletem a luz nessa dimensão densa, isso é clarividência.



17. Às vezes, uma pessoa percebe algo à distância e parece que sua percepção subdivide-se. Parece que metade dela está centrada no corpo e a outra parte está "in loco" observando alguma coisa, como se estivesse presente ali, mesmo estando distante daquele local. Essa não é uma clarividência comum. É uma percepção mais complexa denominada "clarividência viajora". Esse fenômeno muitas vezes acompanha estados alterados de consciência, como o transe mediúnico e a projeção da consciência, experiência fora do corpo (Parapsicologia), viagem astral (Ocultismo), projeção astral (Teosofia), emancipação da alma, desprendimento espiritual ou desdobramento espiritual (Espiritismo), projeção da consciência (Projeciologia) ou projeção do corpo psíquico (Rosacruz).



18. A clarividência refere-se ao momento presente. Se as imagens percebidas pelas vias parapsíquicas referem-se às imagens do passado da própria pessoa, isso é chamado de "retrocognicão" (do latim: "retro": "atrás"; "cognição": "conhecimento"), popularmente chamada de "regressão de memória". Isso pode ocorrer em relação ao passado dessa vida atual ou ao passado relativo a vidas anteriores. Se as imagens referem-se ao futuro (suposto, presumível, relativo), o fenômeno é chamado de "pré-cognição" (chamado popularmente de premonição). Se as imagens percebidas referem-se ao passado alheio ou são relativas ao passado de algum objeto, ambiente ou situação, o fenômeno é chamado de "psicometria" (do grego: "psico": "alma"; "metria" - oriundo de "metron": "medida").



Resumindo:

- percepção de imagens no momento presente: fenômeno clarividente.

- percepção de imagens passadas (da própria pessoa): fenômeno retrocognitivo.

- percepção de imagens futuras: fenômeno pré-cognitivo.

- percepção de imagens passadas pertencentes a alguém ou a ambiente e objetos: fenômeno psicométrico.



19. Há um fator que altera as energias de alguém e pode dar grande diferença na avaliação de sua aura: a presença de espíritos desencarnados ligados à pessoa. No caso de espíritos densos (energias intrusas perniciosas), a alteração energética é mais ostensiva. Já a ação de seres espirituais avançados é naturalmente mais sutil e mais difícil de ser percebida. Qualquer clarividente razoável pode falar com propriedade da ação nefasta de espíritos desencarnados assediadores espirituais na aura de alguém. Isso não é científico, mas é real.



20. Como foi dito antes, o estudo desses temas é natural. A existência de vida além da vida é natural. Os espíritos são apenas seres humanos extrafísicos. Portanto, não vejo como a abordagem natural em cima desses temas jogue pelo ralo qualquer conceito espiritualista. Talvez jogue pelo ralo a ignorância das pessoas sobre o mecanismos parapsíquicos. Porém, explicar tecnicamente uma coisa não significa limitar a consciência de ninguém a apenas essa nossa terceira dimensão (se considerarmos a influência do tempo, quarta dimensão, dependendo do enfoque que alguém coloque na abordagem) e jogar pelo ralo a existência de causas e dimensões extrafísicas. Estudo tecnicamente tudo isso e continuo espiritualista, cada vez mais, por tudo que já vivi em prática nessa área.



21. Na própria Ordem Rosacruz (AMORC), citada antes, há estudos avançados sobre a aura humana, a projeção do corpo psíquico (sétimo grau) e a sobrevivência da consciência após a morte. A abordagem lá é natural, consciente, mas, espiritual em essência, além dos parâmetros tridimensionais.



22. Não é possível (por enquanto) medir os pensamentos e sentimentos de alguém através de fotos Kirlian. É possível apenas detectar suas repercussões psicofísicas no soma. No entanto, alguém duvida de que pensa e ama?



23. O objetivo desse longo texto é só clarear genericamente as informações sobre esse tema. O estudo das fotos Kirlian é importante, principalmente na prevenção de doenças. A percepção extrafísica dos sensitivos (quando extirpada de toda distorção sensorial e da falta de interpretação correta) também é importante, pois a percepção parapsíquica, quando bem dosada por discernimento e amor, é capaz de transformar-se em ótima ferramente para o crescimento consciencial da pessoa. É capaz de tornar-se um poderosa alavanca evolutiva que permite o acesso a outras dimensões de vida e a certezas inabaláveis sobre a imortalidade da consciência e a interdependência dos seres, físicos e extrafísicos, na natureza.


As Revelações da Aura



Exercícios



1)

Sente-se num local silencioso, onde não corra o risco de ser interrompido.

Acenda uma vela e apague todas as luzes.

Fixe o olhar na chama da vela, sem piscar.

Mesmo se seus olhos começarem a lacrimejar, não os feche.

Esse exercício ajuda a sensibilizar os olhos, de modo que eles passem a perceber imagens e luzes sutis.



2)

Abra uma fresta da janela, de maneira que o aposento fique suavemente iluminado.

Peque um livro encapado com papel crepom azul e coloque-o à sua frente, sobre um pano bege ou cinza, a 50 centímetros de distância.

Feche os olhos e relaxe.

Então abra os olhos e observe fixamente o livro.

Concentre-se bem e insista nesse exercício quantas vezes forem necessárias até conseguir ver a aura do livro.



3)

Junte ao livro azul mais dois livros – um encapado com papel crepom amarelo e outro com papel crepom vermelho.

Observe-os até conseguir ver o campo áurico dos três livros ao mesmo tempo.

Você provavelmente notará que cada um deles apresenta uma aura própria e que as três auras se fundem numa forte luminosidade.

Faça o mesmo com outros objetos (crucifixos, panelas, estatuetas), juntos ou separados, para exercitar a clarividência.



4)

Assim que conseguir enxergar a aura desses objetos, comece a lidar com seres vivos.

Em primeiro lugar, utilize flores vivas (plantadas em vaso com terra).

Observe-as com a mesma concentração e atenção dispensadas aos objetos anteriores.

Você notará que a aura da planta é muito mais forte e brilhante que a dos objetos inanimados.

Faça o mesmo exercício com vários vasos de plantas, de espécies diferentes.

Coloque um vaso perto do outro e observe-os com o máximo de atenção, até conseguir enxergar as auras de todas as plantas ao mesmo tempo.



5)

Observe um animal ( gato, cachorro, coelho, passarinho) quando ele estiver em repouso.

Procure observá-lo num lugar iluminado naturalmente, mas que não seja ao ar livre.

Para conseguir enxergar a aura de animais, você necessitará de muito mais concentração do que no caso dos objetos e das plantas.

Por isso, tente relaxar bem, respire profundamente e olhe para o animal sem ansiedade mas com muita atenção.

Aos poucos, você verá que, em torno dele, se forma uma aura mais ampla e brilhante que a dos vegetais.



6)

Observe sua própria aura.

Para isso , ilumine um aposento suavemente, com um abajur.

Sente-se de um jeito bem confortável, com as pernas esticadas e nuas.

Concentre-se bem e observe suas pernas com atenção.

Aos poucos , você notará que sua aura tem um brilho ainda mais intenso do que a aura do animal estudado anteriormente.

Perceberá, também, que já um tom predominante e, além dele, existe uma infinidade de cores que se fundem – muito mais intensas do que as dos seres observados antes.



7)

Agora você já está preparado para ver a aura de outra pessoa.

Para isso, convide alguém, da sua confiança, que concorde em se deixar observar.

Peça à pessoa que use uma roupa sem mangas, para que você comece a observação pela pele nua dos braços

Você notará uma espécie de fumaça se formando nessa região.

Aos poucos, a fumaça se expande e as cores aparecem, com brilho total.

Observe- a assim durante um bom tempo.

Depois procure enxergá-la de maneira mais ampla, até ver a aura do corpo inteiro da pessoa.



8)

Peça para a pessoa que está sendo observada, se acomodar numa posição bem confortável, sentada ou deitada.

Então solicite a ela que ouça, com um fone de ouvido, as músicas de que mais gosta.

Concentre-se bem por meio de uma respiração profunda e observe a aura dela , especialmente na região da cabeça e dos ouvidos, onde as variações serão mais perceptíveis.

Você notará que a satisfação dela em ouvir as músicas provoca ligeiras alterações na aura, que fica mais brilhante e harmoniosa.



9)

Chegou a hora de você enxergar as auras ao ar livre.

Convide seu colaborador pra passear um pouco à luz do dia.

Então, procure se concentrar bem até conseguir enxergar o campo áurico que se forma em volta dele.

Você notará que os raios de sol se fundem com a luminosidade da aura.

Depois faça esse exercício com as casas, os carros, as plantas e os animais, até detectar suas auras à luz do sol.

No caso das plantas, você poderá captar até mesmo as mudanças sutis que ocorrem durante o processo de fotossíntese.
CONCEITO:
Etimologia: lat. aura, - 'vento brando, brisa, o ar, sopro, hálito, brilho.
- Suposta manifestação de substância etérea que irradia de todos os seres vivos, somente perceptível por pessoas de sensibilidade especial.
- A AURA não é um corpo, é a manifestação energética de um determinado corpo.
Você com certeza já deve ter conhecido alguém assim: basta chegar perto para se envolver numa maravilhosa onda de luz e paz. Sua energia é tão positiva e contagiante que poderia até ser tocada. Outras pessoas, ao contrário, provocam uma desagradável sensação de cansaço, como se roubassem nossa energia. Esta capacidade de apagar ou iluminar o ambiente reflete o poder da nossa aura.

Uma pessoa altamente emotiva com um chakra do plexo solar desenvolvido e descontrolado, pode causar destruição. Por outro lado uma pessoa que use corretamente o centro do coração, leva a inspiração a centenas de pessoas, expandindo sua Aura e tornando seu campo energético mais amplo, mais forte, mais protegido e mais resistente aos ataques das energias telúricas e de energias negativas.


Ela foi estudada nos anos setenta pelo físico russo Samuel Kirlian, que inventou a kirliangrafia, que não é nada mais que a fotografia da nossa aura. Através dela pode-se detectar visualmente que todo ser humano representa um gerador de energia que produz um campo energético.

A aura é constituída por quatro campos, quatro camadas:

  • aura da saúde física
  • Aura astral ou emocional
  • aura mental
  • aura do corpo etérico

Existe uma correlação entre o estado geral de corpo-mente-alma de uma pessoa e seu corpo vibratório. Danos à alma, tensão e fraquezas físicas tornam-se perceptíveis, antes mesmo de se manifestarem em você, tais como depressões, fadigas e doenças. Quem passa por uma perda de um parente querido, por exemplo, terá chances de se recuperar mais rapidamente se seu campo energético estiver equilibrado. Uma das maneiras para deixá-la em perfeito estado é tomar o banho de água com sal.

Antes de tudo, devo esclarecer a essência da aura. Todos os pensamentos e atos humanos pertencem ao bem e ao mal. A espessura da aura é proporcional à quantidade de pensamentos bons e maus. Internamente, quando uma pessoa pratica o bem, sente uma satisfação na consciência. Esses pensamentos se convertem em luz, somando-se a luz do corpo espiritual. Quando, ao contrário, os pensamentos e atos sãos maus, estes se convertem em nuvens do corpo espiritual.

Externamente, quando se faz o bem aos outros, os pensamentos de gratidão das pessoas beneficiadas também se convertem em luz. Transmitidos através do fio espiritual para a pessoa que praticou o bem, aumentam a luz desta. Quando, ao contrário, a pessoa recebe transmissões de pensamentos de vingança, ódio, ciúme ou inveja, suas nuvens aumentam. Por isso, é preciso praticar o bem e proporcionar alegria aos outros, evitando provocar pensamentos de vingança, ódio ou ciúmes.

Para assegurar a boa luminosidade de sua aura todo cuidado é pouco. Ciúme, raiva, ódio ou inveja podem atuar negativamente sobre o equilíbrio dos campos energéticos. O primeiro passo é combater as situações de estresse com constantes exercícios de relaxamento, caminhar todos os dias pela manhã (se possível por vinte minutos), e viver situações que salientem o seu lado alegre.



  - TIPOS DE AURA:



  - AURA ETÉRICA:

É a manifestação do duplo etérico e do corpo físico. O duplo etérico possui 4 camadas sendo a mais externa a AURA ETÉRICA, ela representa a vitalidade do corpo físico o potenciômetro das reservas energéticas do nosso organismo, portanto as informações que ela oferece a um clarividente, é meramente de natureza funcional e mecânica.

 Não confundir a aura etérica com o Corpo Etérico. A AURA ETÉRICA, é conhecido por outros nomes como PERIETÉRICO, VITALIDADE, prana.

Sua luminosidade é próxima do Cinza Azulado por vezes prateado, lembra uma leve bruma, uma fumaça de incenso, não fosse pela sua opacidade e pela sua maneira de se mover. Porém é preciso dizer que a AURA ETÉRICA (Perietérico) é a matéria fluidificada.

  AURA ASTRAL:

É conhecida também por aura emocional e é a manifestação do corpo Astral.

Forma um ovo áurico em volta do corpo . Sua grande mobilidade, suas colorações de variações infinitas são sinais que a distinguem.

Devemos considerá-la como o espelho das paixões de um indivíduo, pois fornece o reflexo exato de seu ego inferior ou personalidade.

Por isso a dificuldade de ler uma aura, pelas tempestades, maremotos, variações de todos os tipos, está sempre em constante mutação, de acordo com as emoções do seu dono.

AURA MENTAL:

É a aura da mente, mais estável, esta aura é mais sutil energeticamente e reflete a personalidade fixa do homem, esta aura em termos de cor, brilho, tamanho e luminosidade depende da evolução mental do seu possuidor. Pode variar de 1 metro e 80 centímetros até mesmo a centenas de metros.

Essa aura é o espelho da atividade mental e intelectual, evidencia a raciocínio e os processos de mentalizações do indivíduo.


   AURA CAUSAL:

É a aura de todas as potencialidades do indivíduo, a aura das causas, do processo que vai se desenvolvendo na pessoa através de suas reencarnações. Reflete as forças inconscientes, a subjetividade. A aura causal resume todo o conhecimento profundo de um ser. Esta aura é de difícil detecção, pois é muito móvel e fica afastada do corpo físico, variando entre 2 até 3 metros além do corpo físico. Tem a forma de um trapézio com a base pequena voltada para baixo sendo a parte de cima em forma de uma esfera luminosa. Sua percepção no entanto lembra um portal grande arredondado dos templos sagrados da arquitetura oriental.




   AURA DE VITALIDADES DIVINAS:

Não é possível falar muito sobre estas radiâncias devida a grande raridade existencial de seres com estas auras. Porém espíritos superiores afirmam serem verdadeiras pontes radiantes entre o mundo inferior e os mundos superiores.Seres no nível de Budas, Cristo.

Conhecida como sétima aura expandida por um ser humano encarnado. Uma luz radiante de tal intensidade que fica difícil descrevê-la, com cintilações douradas.



  CORPOS SUTIS:

   CONVIVÊNCIA ENERGÉTICA DAS AURAS:

As auras são na verdade manifestações, reflexos, emanações dos corpos sutis.

É errado afirmar que uma AURA pertence a um corpo. Podemos afirmar que a aura é um sopro colorido emanado de um corpo sutil.

Por isso podem ser lidas e interpretadas. São padrões vibratórios cada com sua sutileza que se interpenetram.

Uma aura não afeta a outra, embora saiba-se que uma reflete na emanação da outro.

Uma dor de dente, vai afetar o chakra que irá afetar o perietérico que irá refletir a dor emotiva na aura astral que irá também se refletir na aura mental em menor escala.

Por isso é importante não confundir corpo etérico com aura etérica, corpo astral com aura astral, corpo mental com aura mental e corpo causal com aura causal. Cada corpo tem sua emanação energética oriundo dos corpos. Por isso os religiosos sempre dizem; Busquem a verdade dentro de si mesmo. Cada corpo está consciente na dimensão que sua evolução atingir.

Nota-se que os corpos estão um dentro do outro interpenetrados, como os planos dimensionais.



   NÍVEIS DE CONSCIÊNCIA:
Cada aura é um reflexo de uma consciência especificada. Isto significa dizer que cada aura é o espelho de uma consciência, da alma ou espírito humano. Cada corpo é uma parcela do homem, e ele vive de acordo com sua evolução.

Os seres humanos em sua grande maioria vivem no nível de sua consciência astral, isto quer dizer que a maioria dos seres humanos vive pelas emoções, impulsos, não usando a reflexão em seus atos. Comparando esses níveis a um ser poderíamos dizer que o ser humano evolutivamente vive entre a infância e a adolescência.

As manifestações mentais e causais no homem normal, está no estado embrionário.

Quanto a maturidade física em termos físicos, emocionais, mentais e intelectuais, é atingida só aos vinte e um (21) anos, porque a cada sete ano um corpo sutil se forma. O corpo etérico e astral se completa dos sete (7) anos até os catorze (14) anos, os outros corpos estão sob forma de germes e vão se desenvolver conforme a vida que levará o ser humano (21 anos o mental).



  OUTROS CORPOS:
Do fragmento de uma rocha, vegetal, insetos e animais e todos os elementos básicos da natureza, tudo possui sua aura. Um sopro de energia é exalado por tudo que existe no universo.

Portanto é de se observar que a aura de uma Pedra é apenas etérica, de um vegetal etérica mais sutilizada , já os animais irracionais começam a criar uma aura astral conforme a espécie, as colônias de insetos por exemple a aura é coletiva, porque o espírito é coletivo, são emanações vinculadas ao um centro. Um animal já é dotado da consciência de sua existência, da noção de pertencer a um grupo, mas é um saber instintivo, que não lhe permite fazer abstração.
Nos animais mais próximos dos homens, os domésticos, o papel do ser humano, é fundamental para ajudar na evolução, na criação de uma consciência, através do carinho, do amor. Aliás o amor é a chave mestra da evolução.



  POR QUE LER A AURA?
 

   CONSCIENTIZAÇÃO:
A leitura da aura envolve um problema ético, não deve ser considerado um PODER. Não deve ser instrumento para dominar e sim para servir ao próximo.
Por isso a pergunta: Por que e para que ler a Aura? – Para ajudar ao próximo, nas suas deficiências e fraquezas. Não para descobrir intimidades que se estão ocultas, cabe a quem as oculta torná-las públicas usando o seu pelo livre-arbítrio.

Neutralidade é uma regra de ouro para quem LÊ a aura.


  CAMPOS DE ATUAÇÃO:

Na psicologia, pode servir para alertar aos coléricos, ansiosos, nervosos, sobre uma conduta errada, até inconsciente.
Para diagnosticar doenças, ver bloqueios energéticos, parasitismo, perceber as Larvas astrais, mecanismos de doenças penetrando pelo astral e chegando até o etérico e penetrando no corpo físico.

É preciso salientar que o corpo etérico é uma cópia fiel do corpo físico, para um coração físico, possui um coração etérico, nos outros corpos esta cópia não é colocada em termos de cópias como entendemos, existe na realidade um aglomerado energético, ligados aos órgãos etéricos. Esses aglomerados são embriões dos órgãos etéricos e físicos. Quando o corpo físico deixa de existir, o corpo astral recria automaticamente um corpo análogo idêntico, por uma questão de necessidade, essa reação é em cadeia e feita imediatamente após a morte.

Não são os olhos físicos que percebem a aura, mas o nervo ótico. As glândulas responsáveis são pineal (efífese) e pituitária (hipófise).



   AS CORES E SINAIS:

Esse é um dos pontos mais polêmicos da Leitura da Aura. A leitura da aura, é precisa, mas a divulgação de interpretações variadas faz com que as pessoas tenham várias informações de uma determinada cor. As cores não são estáticas, possuem nuances, transformações, formas, brilho e tonalidades além de combinações com outras cores. Devida a infinidade de nuances, cabe pedir as pessoas que parem de dizer:” Essa cor significa tal coisa ...” – Isso é querer simplificar e acaba gerando contra-sensos. Outro detalhe que deve ser observado é classificar uma cor como NEGATIVA. Uma cor não é negativa por si só. Existem nuances, limpidez, tonalidades que devem ser levadas em considerações na hora de uma leitura.
Exemplo: O vermelho poderá sigficar espírito de liderança como cólera. Portanto cuidado com as tabelas sobre as cores das auras.

Obs: Conforme o grau que o clarividente usa, pode-se perceber as auras gradativamente. Conforme o treino pode-se perceber só a aura etérica, ou só a astral e assim sucessivamente as outras.



   VERMELHO:
O vermelho é uma cor que mais se presta a interpretações errôneas. O vermelho vivo é sinal de dinamismo, quando o encontramos em faixas vaporosas em torno da cabeça, esse dinamismo é de temperamento e não físico, o físico usa a mesma cor, porém localizado ao longo dos membros e na cintura.


Porém como forma de nuvens em todo o corpo, mostra uma personalidade forte, porém com crises de humor, principalmente se mostrar feixes desiguais na região craniana. Centelhas de um vermelho muito intenso é ansiedade, mais fraco tendendo para um rosado indicio de nervosismo.

O vermelho Carmin mostra força de comando, liderança, principalmente se este vermelho estiver em forma de brumas na forma superior do corpo, e será ativa se a cor tomar forma de raios luminosos. Uma superabundância desse vermelho na aura denota autoridade abusiva e se tiver leves traços do cinza antrácito teremos o quadro de uma pessoa déspota.

De qualquer forma o vermelho muito escuro, situado na fronte e em cada lado da nuca põe em evidência a cólera. Quando o cinza a ele se acrescenta temos um quadro de impulsos de violência. A emanação de uma energia deste porte, pode criar uma brecha no etérico e vir a causar doenças psíquicas.

A presença do Vermelho Tijolo ou ferrugem na radiância astral, denota a avareza, egoísmo. Um vermelho amarronzado, quando presente num órgão do corpo(como uma mancha) revela a formação de um câncer. Portanto é preciso ter cuidado na leitura, sempre lembrando que a doença se manifesta nos corpos mais sutis e vai descendo gradativamente até o físico.

A prática tem demonstrado que os cânceres nascem no plano mental, portanto a Aura do corpo Mental vai apresentar essa mancha, mas como é sabido não existe um fígado específico no corpo mental, o que dificulta a leitura precisa a não ser que o clarividente tenha muita prática.

Porém essa mancha vai se formar na Aura Astral no devido órgão atingido e isso pode levar meses e até anos. O processo pode ser interrompido se a pessoa mudar atitudes.

Outros vermelhos vivos, denotam orgulho, com o amarelo denota vontade de agradar, pode-se notar que o orgulho quando levado a um excesso se torna prejudicial, da mesma forma a vontade de agradar excessiva pode virar hipocrisia, e tudo é demonstrada pelas tonalidades e misturas. Notem a complexidade de ler e interpretar uma aura. É preciso ler centenas para começar a entender e aprender sem cometer gafes.

                                          PRATEADA:

O canal da Cura:
O indivíduo de aura prateada é um curandeiro natural. Utiliza energia para transformar luz em raios que curam. É o meio ou o canal por onde a cura passa. Consegue aumentar seu poder pessoal, físico, a ponto de poder limpar as mentes e as almas, para que a cura seja possível.


Seu maior desafio é aprender a lidar com esse dom de curar. A fim de não chamar a atenção sobre si, o indivíduo de aura prateada se torna o camaleão do espectro, assimilando outras cores em sua aura para se ocultar ou para se proteger.

No entanto, ele prejudica seu próprio campo energético com isso, sofrendo as consequências. Esse ato também confunde os outros. Seu maior desafio é aprender a se conhecer e descobrir seus dons especiais, para não precisar disfarçar-se com uma camuflagem emocional.

O indivíduo de aura prateada sente o meio ambiente físico como algo duro, hostil e frio. É fisicamente doloroso para ele olhar para qualquer coisa realista. É fisicamente sensível a barulhos e qualquer outra forma de poluição. Gostaria que o mundo fosse como os palácios antigos de seus sonhos e fantasias. Como não é, fica horrorizado.

Na tentativa de criar no mundo real a perfeição que visualiza em sua mente, fica obcecado com limpeza e organização, muitas vezes. Precisa de muito espaço aberto, sobretudo dentro de casa.

O indivíduo de aura prateada tem muitas vezes a sensação física de estar sendo usado, desse modo é ciumento de seu espaço privado, onde só admite a família e os amigos mais íntimos e chegados. Não se abre a grandes reuniões porque não se sente à vontade com a idéia de invasão de seu espaço íntimo.
Trabalhar a terra para este ser é estabilizador e satisfatório, e por isso o aura prateada pode se fazer valer desse exercício para se sentir melhor.


  AZUL

De uma maneira geral o azul sugere paz, mas a complexidade está na tonalidade e nas misturas.
A azul celeste: - Quando vivo, testemunha uma grande honestidade e um temperamento agradável. Principalmente quando ele constitui a cor básica da aura astral ou pelo menos ocupa a parte superior do corpo.


Porém quando a azul se torna pálido o seu dono se interioriza em demasia, tendo como defeito uma timidez exagerada. Quando o claro e metalizado, a pessoa tem tendência a ser influenciada, simples focos desta cor simboliza indecisão. O azul Lavanda, inclina a meditação, a prece, a interiorização, se salpicado com amarelo fosco quer dizer recato e virtude afetada. Acompanhado do rosa vivo quer dizer piedade excessiva.

O azul escuro, são das pessoas voluntariosas, porém raramente aparece em toda a aura, mais encontrada na parte superior, próxima ao chakra coronário e são das pessoas trabalhadores incansáveis. Quando esta cor se mistura com o vermelho carmim denota TEIMOSIA. Obstinação, quanto maior a incidência desse vermelho, menos escrúpulos terá essa pessoa.

A presença do cinza perto da cabeça, denota falta de coragem, pessimismo. Quando esse cinza for para o amarelo ocre a tendência a desconfiança.



  AMARELA:

O amarelo alaranjado denota grande espiritualidade, muito elevada. É a cor da sabedoria, do ideal e da ação luminosa.


O amarelo Limão já denota a razão e o discernimento, sempre levando em consideração que o amarelo por si mesmo revela atividade cerebral. Podendo por isso gerar machas de vermelho fosco o que revela idéia fixa. O amarelo pálido, revela vacilação, quanto mais próximo de um amarelo esbranquiçado acizentado revelando a inatividade e a indecisão. Quando chamas de ferrugem aparecem revelam a covardia. Quando povoadas por manchas marrons revelam o materialismo e com o verde-cáqui revelam o egocentrismo.

Quando o cinza-antrácito e a ferrugem aparecem essa alma produz pensamentos com essas cores, significa o desequilíbrio, pouco digna de confiança, extrema versatilidade para criar mentiras, diplomata em suas relações.



NUCA LUMINOSA: Para concluir deve-se observar em todos os seres humanos na região da nuca que toda a aura exala um amarelo de média intensidade formando uma meia-lua em forma de nuvem, isso simplesmente é o ato de pensar, se concentrar, se preparar para uma prova. Porém em determinadas pessoas essas cores são explosivas com raios, centelhas de cores brancas e amarelos vivos, quando existe uma atividade intelectual. É na sua superfície que as formas-pensamento se manifestam.



  VERDE:

O verde é a mistura do amarelo com o azul, PORTANTO a atividade + vida interior, desviada para ajuda ao próximo.

O verde vivo, denota a escolha para um caminho interior que acaba abrindo-se ao próximo.


O verde-Maçã: De um ponto de vista global, denota-se a capacidade de doação aos outros. É a cor do dom para a medicina, para a cura, na educação, quando um azul celeste se junta a ele, a sinceridade, a autenticidade se junta a ele.

 O verde elétrico quando se estende pelos braços até o chakra da palma das mãos, traz consigo a certeza do magnetismo, da cura pela imposição das mãos. As mãos etéricas e/ou astrais verdes são mais purificadoras e reenergizantes. Jardineiros ou pessoas que tem a mão boa para o plantio, possuem essa aura nas mãos. O azul elétrico junto indica coragem indo até o sacrifício, comum em enfermeiros tenazes com seus pacientes.

O verde esmeralda, a cor dos curandeiros (grandes médicos), terapeutas, agem indiferentemente do seu ganho material. Age tanto na medicina da alma como a física.

Porém quando o verde perde a força e fica pálido tende a hipocrisia, junto com o amarelo fraco e fagulhas de ferrugem.

Quando atravessado por faixas luminosas de vermelho de média intensidade denota equilíbrio, responsabilidade, ação determinada.

O verde tília denota morosidade.

 

  VIOLETA:

Uma das cores mais raras de ser encontrada no estágio atual da humanidade, pois é a cor da espiritualidade elevada ativa nos seres de luz. O azul e o vermelho na sua pureza produzem o violeta. Próximo ao amarelo alaranjado porém denota maior profundidade a meditação.


Porém é encontrado nas pessoas feixes, fagulhas, salpicados dessa cor. As pessoas que carregam esses aspectos possuem o misticismo, quando salpicado de amarelo e violeta, denota alta intelectualidade e espiritualidade ao mesmo tempo.

O violeta pálido e ou lilás, revela um interesse menor a religiosidade.

Porém quando acompanhado de nuvens ou nuances cinzas, indicam um dom prejudicado pela falsa devoção, muito comum nas pessoas que exploram a fé dos outros, sempre pensando no seu bem comum, dinheiro e exploração.

Conforme a tonalidade do cinza ou até existir mais cinza do que o lilás pálido poderá chegar a ingenuidade, crença fácil em milagres e outras ondas místicas.



  LARANJA:

Significa ATIVIDADE, pois une duas potências o amarelo + vermelho, atesta o lado prático, vamos deixar de firulas e partir para a realização. Ação física, dinamismo.


É a cor da BOA VONTADE ATIVA, da lealdade. É o signo de uma espiritualidade concreta na vida cotidiana. Porém quando esse laranja se suja com ferrugem a preguiça se torna evidente. Com amarelo pálido junto o desinteresse, como verde garrafa escuro revela o rancor.



   ROSA:

O ROSA é sempre a falta de maturidade, a cor da infância, da vontade de brincar, rir. Sempre encontrada em crianças, adolescentes.


Sempre encontrada em crianças, adolescentes. Nas auras coletivas o ovo áurico do grupo de ri e conta piada, brinca e dança o ROSA se faz presente, quando a brincadeira se torna agressiva tons de vermelho se fazem presente. Quando o amarelo acidulado se faz presente o egocentrismo também.

O cinza com fagulhas de azul frio e escurecido, o medo se faz presente.

Isso não quer dizer que devemos fugir do rosa, porque a alegria o contentamento produzem tons rosas nas auras e esse sentimento deve sempre ser cultivado.
 

  CINZA:

No conjunto essa cor vem adicionada a outras, sua presença é uma forma de um véu, até mesmo fraca vibração, fraca, cansaço de um cor faz nascer o cinza, doença do organismo no caso da aura etérica e cansaço de um sentimento produzido pela aura astral.


Mas como todas as cores possuem variantes não seria diferente com o cinza.

O cinza escuro tende a depressão, porque a tristeza vem com o cinza. O cansaço produzido por excesso de trabalho traz o cinza porém sempre passageiro após o descanso e a recarga do corpo astral das células pela energia prânica.



  PRETO:

A não luz, o caos negativo do pensamento. Essas massas negras são raras no cotidiano, são pessoas com energia destrutiva, principalmente da autodestruição, do suicídio, doentes psíquicos.




  BRANCO:

O branco é a cor da pureza, porém é a gama de várias cores em circulação constante produz o branco. Dentro das leituras das aura o branco cristalino é o símbolo da pureza . Porém tem o branco pesado, leitoso, que significa falta de idéias, pessoa mal resolvida, que procura a si mesmo, insatisfação, o branco por falta de luz. O branco cristalino com dourado, é Crístico, búdico.




  SINAIS:

Para os que vêem e lêem a aura humana, se não tiver a tecnicalidade de avaliar e interpretar, de nada valerá o seu dom. Além das cores cuja complexidade é imensa, ainda tem os SINAIS e as FORMAS de pensamento. Portanto cores justapostas, sobrepostas não é o suficiente para uma leitura, é preciso o reconhecimento.

  PROTUBERÂNCIAS:

Há zonas do corpo onde existem excrescências acizentadas, trata-se de estagnações energéticas, ou seja resíduos da energia vital no qual o corpo não conseguiu expelir, se desfazer naturalmente. Obesos que não praticam exercícios possuem na área do chakra umbilical verdadeiras massas protuberantes de um cinza. A presença dessa anomalia, não permite a livre circulação do prana. Sensações de contrações, dores de cabeça, nas articulações do corpo é notado essas excrescências, cotovelo, punhos, ombros, na parte detrás dos joelhos, na verilha, na cintura. Uma excrescência positiva, é vista numa cor azul prateado, entre os olhos, coração, na garganta ou orelha indício de vidência tais como clartividência, clariaudiência, mediunidade.

  CAVIDADES:

A vizualização de cavidades ou “buracos” na radiância etérica é objeto de preocupação, é sinal de que não existe energia no lugar, de espécie alguma, em casos graves pode levar a falência de órgãos conforme a cor que circunda, como exemplo ataque cardíaco. Mas a existência de uma fratura, pode acusar uma falha em forma de buraco.

Porém na maioria dos casos, é má circulação no local e massagem, acumpuntura (reenergização dos nádis), reiki no local afetado.

  FUGAS:

Paralelamente aos “buracos” na aura etérica, você aprenderá fugas de energias vitais, como se fosse uma fumaça saindo de uma chaminé, semelhante a um gêiser, trata-se de uma perda energética, perda de FORÇA quando essa fuga é da cor acizentada ou branco sujo. Se for nos chakras e colorido de uma cor viva, principalmente nos chakras magnos esplênico e laríngeo é nos grandes pés e palma das mãos, é um ato expelidor normal.

Mas não sendo nestes locais, pode-se dizer que é uma perda e deve ser cuidado para não produzir agravamentos, pois enquanto forem fissuras, brechas, podem ser cuidadas e tratadas (mais perceptíveis com o corpo visto de perfil).

  MANCHAS:

As manchas são sempre sinais de desequilíbrios, uma mancha é em geral escurecida, fora de foco, em forma de nuvem. Nos casos etéricos essas nuvens difusasacizentadas podem indicar mã-digestão quando na região do estômago, quando de um cinza escurecido é um problema já crônico de proporções enraizadas como úlceras gástricas, vesícula biliar entupida, cálculos renais.
As manchas são conhecidas mais popularmente como BLOQUEIOS energéticos.

  NERVURAS :

São sinais de desordem e variam do cinza até o vermolho marrom escuro. Começo de um problema maior fase ideal para combater um mal maior como uma fuga ou cavidade.

  CLARÕES E CENTELHAS:

Os clarões são manifestações astrais e mentais, raramente se vê no plano etérico. Por isso está ligado aos sentimentos, como raiva momentânea, alegria rápida, gargalhada, descoberta de uma resposta desejada.

Já as centelhas ou faíscas etéricas rosadas podem denotar infecção (inflamação) conforme a cor, já na aura emocional um vermelho podem denotar problemas financeiros.



  FORMAS-PENSAMENTO:

As formas pensamentos geram diversas formas no ar, sempre de natureza astral e mental podemos ver acima das cabeças humanas, triiângulos, quadrados, caixas, lanças, relâmpagos, esferas, seres, formas ectoplásmicas, podem durar segundos e as idéias fixas alimentam formas que geram um círculo vicioso. Alimentada pela preocupação e a raiva podemos bater na mesma tecla dando origem a uma forma fixa, que pode durar horas, dias, meses e até anos em alguns casos mais graves.


Fonte: Corpos de Luz – Leitura da aura e Curas pelo Espírito – Anne e Daniel Mourois-Givaudan


 
As Cores e seus significados:

Branco = Pureza, Imaculado, Infecundidade, transmutação

Amarelo = Trabalho com o Cristo, proveito, forças do Cristo cooperando na ascensão, há de haver esforço.

Azul = Amor, Satisfações, Saúde, Arrependimento, Lucidez.

Rosa = Bons Sentimentos, harmonia, Carinho.

Cinza= Temor, Angustia, Medo, indecisão, covardia.

Violeta ou lilás = Renúncia e espiritualidade máxima, Amadurecimento espiritual.

Verde = penetração a dentro de si, auto observação, Esperança, muitos segredos serão revelados.

Vermelho = Paixão, Ardor, Luxúria, intensidade, infradimensões, involução.

Escarlate = Tragédias, Violência, Ira. Traição.

Preto = Negativo, fracassos, Loja negra, forças sinistras.



Todos os seres vivos, dos mais rudimentares aos mais complexos, se revestem de um "halo energético" que lhes corresponde à natureza." 

 

Considerando-se toda célula em ação por unidade viva, qual motor microscópico, em conexão com a usina mental, é claramente compreensível que todas as agregações celulares emitem radiações e que essas radiações se articulem, através de sinergias funcionais, a se constituírem de recursos que podemos nomear por "tecidos de força", em torno dos corpos que as exteriorizam.
Todos os seres vivos, por isso, dos mais rudimentares aos mais complexos se revestem de um "halo energético" que lhes corresponde à natureza.


No homem, contudo, semelhante projeção surge profundamente enriquecida e modificada pelos fatores do pensamento contínuo que, em se ajustando às emanações do campo celular, lhe modelam, em derredor da personalidade, o conhecido corpo vital ou duplo etéreo de algumas escolas espiritualistas, duplicata mais ou menos radiante da criatura.


Nas reentrâncias e ligações sutis dessa túnica eletromagnética de que o homem se entraja, circula o pensamento, colorindo-a com com as vibrações e imagens de que se constitui, aí exibindo, em primeira mão, as solicitações e os quadros que improvisa, antes de irradiá-los no rumo dos objetos e das metas que demanda.


Aí temos, nessa conjugação de forças físico-químicas e mentais, a aura humana, peculiar a cada indivíduo, interpenetrando-o, ao mesmo tempo que parece emergir dele, à maneira de campo ovóide, não obstante a feição irregular em que configura, valendo por espelho sensível em que todos os estados da alma se estampam com sinais característicos e em que todas as idéias se evidenciam, plasmando telas vivas, quando perduram em vigor e semelhança, como no cinematógrafo comum.


Fotosfera psíquica, entretecida em elementos dinâmicos, atende à cromática variada, segundo a onda mental que emitimos, retratando-nos todos os pensamentos em cores e imagens que nos respondem aos objetivos e escolhas, enobrecedoras ou deprimentes.

(Evolução em Dois Mundos, XVII, André Luiz/Chico Xavier/Waldo Vieira, FEB)



CAMPO DA AURA

Articulando, ao redor de si mesma, as radiações das sinergias funcionais das agregações celulares do campo físico ou do psicossomático, a alma encarnada ou desencarnada está envolvida na própria aura ou túnica de forças eletromagnéticas, em cuja tessitura circulam as irradiações que lhe são peculiares.

Evidenciam-se essas irradiações, de maneira condensada, até um ponto determinado de saturação, contendo as essências e imagens que lhe configuram os desejos no mundo íntimo, em processo espontâneo de auto-exteriorização, ponto esse do qual a sua onda mental se alonga adiante, atuando sobre todos os que com ela se afinem e recolhendo naturalmente a atuação de todos os que se lhe revelam simpáticos.


E, desse modo, estende a própria influência que, à feição do campo proposto por Einstein, diminui com a distância do fulcro consciencial emissor, tornando-se cada vez menor, mas a espraiar-se no Universo infinito.

(Mecanismos da Mediunidade, X, André Luiz/Chico Xavier/Waldo Vieira, FEB)


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Minha lista de blogs

Visualizações de página do mês passado

Páginas