quinta-feira, 3 de janeiro de 2013

FRATERNIDADE ROSACRUZ

Breve História da Fraternidade Rosacruz 
Portal principal da Rosicrucian Fellowship fundada por Max Heindel



Fundamentos da Filosofia RosaCruz em Perguntas e Respostas

  Pergunta: Quem são os Rosacruzes e o que esse nome significa?
max
Resposta: A antiga Fraternidade Rosacruz consistia de seres altamente espiritualizados, puros e que possuíam uma incomensurável sabedoria em relação aos demais. Eram tidos como alquimistas médicos e matemáticos. Os doze indivíduos no século XIV, foram orientados por um ser conhecido como "Cristão Rosacruz". Esses seres trabalhavam secretamente e formaram uma fraternidade conhecida como "Ordem Rosacruz". Os conhecimentos de tal ordem foram ministrados a apenas alguns sábios, sendo que nada foi revelado até o ano de 1614, quando um pequeno panfleto escrito em alemão circulou entre aqueles que estavam aptos a receber esses ensinamentos. Essa sociedade secreta ainda existe e ainda trabalha com e para a elevação da humanidade. Somente aqueles que possuem um amplo conhecimento espiritual é que são admitidos como membros no movimento Rosacruz e esses "médicos da alma" podem ser encontrados entre aqueles que estão no controle deste grande movimento, estando intimamente ligados com a evolução do mundo. Esses irmãos nunca se tornaram conhecidos e trabalham de forma incansável e abnegadamente pelo bem da humanidade. Em 1908, Max Heindel que era de origem dinamarquesa, foi escolhido como o mensageiro dos Irmãos Maiores, para transmitir os ensinamentos Rosacruzes ao Ocidente. Passado um determinado tempo e estando ainda tais ensinamentos sob a sua responsabilidade, foi instruído a retornar à América e revelar ao público esses ensinamentos, os quais até então eram secretos. Nessa época, a humanidade tinha alcançado o estágio mais avançado da religião cristã, quando os mistérios (que Cristo menciona em Mateus 13:11 e Lucas em 8:10) tinham que ser ministrados a muitos e não apenas para alguns.

Quando Max Heindel chegou na América, ele publicou esses elevados conhecimentos em sua obra "O Conceito Rosacruz do Cosmos" que foi traduzido em diversas línguas e continua a ser editado em várias partes do mundo. Também estabeleceu a Fraternidade Rosacruz como sendo a Escola Preparatória para a Ordem Rosacruz, na Sede Mundial em Monte Ecclesia Oceanside - Califórnia. A Fraternidade não tem nenhuma ligação com qualquer outra organização, mesmo que esta utilize a palavra "Rosacruz"

  Pergunta: Os Rosacruzes ensinam que Cristo foi o mensageiro divino, o Salvador do Mundo?

Resposta: Cristo Jesus foi o ser mais evoluído que habitou o planeta Terra em um veículo físico. No entanto, os Ensinamentos Rosacruzes esclarecem que Jesus foi um homem que no Batismo, ofereceu seus veículos inferiores ao Espírito Cristo para serem utilizados em seu Ministério no plano material. Na crucificação, Cristo foi libertado dos corpos de Jesus e penetrou na Terra. Este grande Arcanjo ainda é o Espírito que habita a Terra é o Salvador da humanidade. Após um minucioso estudo dos Ensinamentos ministrados pela Fraternidade Rosacruz, o Cristo se torna algo vivente na vida dos estudantes, que não só reconhecem a divindade de Cristo como fazem todos os esforços possíveis para seguir os Seus passos.

  Pergunta: O estudante Rosacruz acredita que há vida após a morte?

Resposta: Sim, os ensinamentos Rosacruzes preparam o aspirante para a vida após a morte. Uma viagem a lugares desconhecidos torna-se agradável quando estamos devidamente preparados e sabemos sobre o lugar para o qual vamos viajar. É algo muito confortável quando conhecemos as condições do lugar que vamos habitar, condições que têm sido tão misteriosas devido à nuvem de ignorância que paira sobre o homem há longa data. O conhecimento da vida após a morte torna-se mais confortável para aqueles que perdem os seus entes queridos.

Os Irmãos Maiores da Ordem Rosacruz, com o seu grande conhecimento dos Mundos Espirituais dão-nos a prova da existência desses mundos superiores. Muitos estudantes que se encontram em um estágio mais avançado, já receberam uma prova da existência da vida após a morte, sendo que para eles isto não é mais uma teoria, mas sim uma Verdade. É possível com o desenvolvimento da sensibilidade superior atual, verificar e ver as condições existentes no mundo invisível chamado o mundo dos mortos, que interpenetra nosso mundo físico, denso, mesmo sendo invisível para aqueles que têm unicamente o senso da visão física. Conforme declara John Mc Creery em seu formoso poema:

"Eles não estão mortos. Passaram apenas
para além das névoas que aqui nos cegam
para que em esferas mais serenas
uma nova e maior vida tenham".

A morte para o estudante Rosacruz é apenas uma perda de consciência, onde nos livramos do envoltório físico e ganhamos o corpo espiritual que Paulo relata no capítulo XV versículo 1 dos Coríntios.

  Pergunta: Os Rosacruzes acreditam no Renascimento e na Lei de Consequência?

Resposta: No capítulo XVII de Mateus, versículo 11, 12 e 13 Jesus dá uma bela demonstração da filosofia do Renascimento a seus discípulos. Após a sua transfiguração, ele claramente disse que Elias já havia voltado e os discípulos entenderam que ele se referia a João Batista. O capítulo 8 de João e a parte final do capítulo 19, nos falam a respeito do Renascimento.

Perante os ensinamentos rosacruzes, todas as ações que se iniciam em uma vida continuam na seguinte. Isso é um ensinamento bíblico que prega que "o homem deve colher o que eventualmente tenha semeado", independente do bem ou do mal que tenha praticado. Devido a isso passa por diversas existências, onde aprende a construir o seu caráter. É nesse estágio de sua vida, que ele usufrui os benefícios ou sofre devido às más ações que tenha praticado em sua última existência.

Cada existência é um dia na escola da vida, onde o espírito aprende as suas lições. Em Gênesis é relatado que o homem foi feito à imagem e semelhança de Deus. Já que o homem é feito à imagem e semelhança de Deus, ele deve se tornar tão sábio quanto o Pai que o criou. Naturalmente tal sabedoria não é adquirida em apenas uma vida, mas sim através de um lento processo evolutivo que o levará à Divindade.

  Pergunta: Fale-nos a respeito do Método Rosacruz de curar os doentes.

Resposta: Em cada um dos quatro evangelhos, observamos que Cristo pregava o evangelho de cura. Ele curava todos os que vinham até Ele e orientava Seus discípulos a levar ao mundo a missão de: Pregar o Evangelho e Curar os Enfermos. Essas duas ordens também foram ministradas aos Rosacruzes que são os "médicos da alma", pois a doença primeiro se manifesta no Corpo Vital, que é o veículo da alma, e a cura pode ser mais bem efetuada através desse veículo invisível. Durante o sono, quando o homem está livre do seu veículo físico e atua no mundo espiritual, a cura é alcançada mais rapidamente. Os estudantes esotéricos são treinados para este tipo de trabalho.

Maiores detalhes a respeito do serviço de cura podem ser obtidos através da:


FRATERNIDADE ROSACRUZ
Sede Central do Brasil
Rua Asdrúbal do Nascimento, 196
01316-030 – São Paulo – SP – Brasil
Tel./fax: (0xx11) 3107 – 4740
E-mail: rosacruz@fraternidaderosacruz.com.br

Ou através de

Oceanside Califórnia

Sabemos que os Rosacruzes não cobram nada por seus trabalhos de cura e nem pelo fato de passarem os seus conhecimentos para os demais. No capítulo X de Mateus, Deus fala aos seus discípulos para irem de encontro às ovelhas perdidas da casa de Israel, para pregarem o evangelho e curarem os enfermos. Mas ele também prega aos seus discípulos para que não adquiram ouro, prata ou cobre durante a sua caminhada. No capítulo X, versículo I dos Coríntios, Paulo também se mantém firme em tal pensamento, de pregar o evangelho e nada cobrar. Os Rosacruzes têm seguido essa prática sem nunca ter cobrado nada por seus ensinamentos. Nenhum conhecedor destes nobres ensinamentos deverá cobrar ou estabelecer uma mensalidade para tal. Isso faz com que este se torne um impostor. Se tivermos fé e trabalhamos de forma desinteressada, Deus sempre cuidará de nós e as nossas ofertas amorosas serão sempre suficientes para nos suprirem em nossas necessidades básicas .

  Pergunta: Porém, isto não encorajaria alguns a tomar tudo e não dar nada? Não se desenvolverá o egoísmo neles? Existe uma lei na natureza que diz que não podemos obter algo através do nada?

Resposta: Sim, inúmeros comparecem às igrejas, conferências e cursos, nada colocando na cesta da coleta, achando isso desnecessário até que são abordados e, naturalmente, pretendem tomar tudo e nada oferecer. Mas eles não consideram o assunto sob o ponto de vista das leis de Deus, que operam silenciosamente através da Lei de Causa e Efeito. Alguma vez, em algum lugar, essas dívidas chegam ao Ego que pensa que poderá escapar, tomando tudo, não dando nada.

"Não se iluda, Deus não esquece nada: o que o homem semear ele também colherá".

 

A Fraternidade Rosacruz e Sua Missão

A Fraternidade Rosacruz Max Heindel não é uma seita ou organização religiosa, mas sim uma grande Escola de Pensamento. Sua finalidade precípua é divulgar a admirável filosofia dos Rosacruzes, tal como ela foi transmitida ao mundo por Max Heindel, escolhido para esse fim pelos Irmãos Maiores da Ordem Espiritual.

Seus ensinamentos projetam luz sobre o lado científico e o aspecto espiritual dos problemas relacionados à origem e evolução do homem e do Universo. Tais ensinamentos, contudo, não constituem um fim em si mesmo, mas um meio para o ser humano tornar-se melhor em todos os sentidos, desenvolvendo assim o sentimento de altruísmo e do dever, para o estabelecimento da Fraternidade Universal.

O fim a que se destina a Filosofia Rosacruz é despertar a humanidade para o conhecimento das Leis Divinas, que conduzem toda a evolução do homem, e, ainda:

(I) explicar as fontes ocultas da vida. O homem, conhecendo as forças que trabalham dentro de si mesmo, pode fazer melhor uso de suas qualidades;

(II) ensinar o objetivo da evolução, o que habilita o homem para trabalhar em harmonia com o Plano Divino e desenvolver suas próprias possibilidades, ainda desconhecidas para grande parte da humanidade;

(III) mostrar as razões pelas quais o Serviço amoroso e desinteressado ao próximo é o caminho mais curto e mais seguro para a expansão da consciência espiritual.

O Movimento Rosacruz, publica e mundialmente iniciado pelo engenheiro Max Heindel, é fundamentalmente uma Escola de reforma interna para a humanidade, uma Escola de desenvolvimento e expansão de consciência, tratando de nossa origem espiritual e da finalidade de nossa evolução.Foram publicados
livros e organizados Cursos por Correspondência para os aspirantes que desejam estudar as verdades espirituais, mas como auxílio e não como fim em si mesmo, pois o estudo, em si só, não basta. A teoria precisa da experiência, obtida mediante a prática, para ser desenvolvida em sabedoria e poder. E, precisamente, a Fraternidade Rosacruz destina-se a prestar a orientação necessária aos aspirantes, para se chegar à aplicação da Lei Espitual na solução dos problemas individuais e coletivos.



Simbologia
Quando investigamos o significado de qualquer mito, lenda ou símbolo de valor oculto, é absolutamente necessário entendermos que, assim como todo objeto do mundo tridimensional deve ser examinado de todos os ângulos para dele obtermos uma compreensão completa, igualmente todos os símbolos têm também certo número de aspectos. Cada ponto de vista revela uma fase diferente das demais, e todas merecem igual consideração.
Visto em toda sua plenitude, este maravilhoso símbolo contém a chave da evolução passada do homem, sua presente constituição e desenvolvimento futuro, mais o método de sua obtenção. Quando ele se apresenta com uma só rosa no centro, simboliza o espírito irradiando de si mesmo os quatro veículos: os corpos denso, vital, de desejos e a mente significando que o espírito entrou em seus instrumentos, convertendo-se em Espírito Humano interno. Mas houve um tempo em que essa condição ainda não havia sido alcançada, um tempo em que o tríplice espírito pairava acima dos seus Veículos, incapaz de neles entrar. Então a cruz erguia-se sem a rosa, simbolizando as condições prevalecente no começo da terça parte da Época Atlante. Houve também um tempo em que faltava o madeiro superior da cruz. A constituição humana era pois, representada pela Tau (T), isto na Época Lemúrica, quando o homem só dispunha dos corpos denso vital e de desejos e carecia de mente. O que predominava então era a natureza animal. O homem seguia os seus desejos sem reserva. Anteriormente ainda, na Época Hiperbórea, só possuía os corpos denso e vital, faltando o de desejos. Então o homem em formação era análogo às plantas: casto e sem desejos. Nesse tempo sua constituição não podia ser representada por uma cruz. Era simbolizada por uma coluna reta, um pilar ( I ).
Este símbolo foi considerado fálico, indicando a libertinagem do povo que o venerava. Por certo é um emblema de geração, mas geração não é absolutamente sinônimo de degradação. Longe disso. O pilar é o madeiro inferior da cruz, símbolo do homem em formação, quando era análogo às plantas. A planta é inconsciente de toda paixão, desejo, e inocente do mal. Gera e perpetua sua espécie de modo tão puro, tão casto, que propriamente compreendida é um exemplo para a decaída e luxuriosa humanidade, a qual deveria venerá-la como um ideal. Aliás, o símbolo foi dado às raças primitivas com esse objetivo. O Falo e o Yona, empregados nos Templos de Mistério da Grécia, foram dados pelos Hierofantes com esse espírito. No frontispício do templo colocavam-se as enigmáticas palavras: "Homem, conhece a ti mesmo". Este lema, bem compreendido, é análogo ao da Rosacruz, pois mostra as razões da queda do homem no desejo, na paixão e no pecado, e dá a chave de sua liberação do mesmo modo que as rosas sobre a cruz indicam o caminho da libertação.
A planta é inocente, porém não virtuosa. Não tem desejos nem livre escolha. O homem tem ambas as coisas. Pode seguir seus desejos ou não, conforme queira, para aprender a dominar-se.
Enquanto foi como as plantas, um hermafrodita, ele podia gerar por si, sem cooperação de outrem; mas ainda que fosse tão inocente e tão casto como as plantas era também como elas, inconsciente e inerte. Para poder avançar, necessitava que os desejos o estimulassem e uma mente o guiasse. Por isso, a metade de sua força criadora foi retida com o propósito de construir um cérebro e uma laringe. Naquele tempo o homem tinha a forma arrendondada. Era curvado para dentro, semelhante a um embrião, e a laringe atual era então uma parte do órgão criador, aderindo à cabeça quando o corpo tomou a forma ereta. A relação entre as duas metades pode-se ver ainda hoje na mudança de voz do rapaz, expressão do pólo positivo da força geradora, ao alcançar a puberdade. A mesma força que constrói outro corpo, quando se exterioriza, constrói o cérebro quando retida. Compreende-se isso claramente ao sabermos que o excesso sexual conduz à loucura. O pensador profundo sente pouquíssima inclinação para as práticas amorosas, de modo que emprega toda sua força geradora na criação de pensamentos, ao invés de desperdiçá-la na gratificação dos sentidos.
Quando o homem começou a reter a metade de sua força criadora para o fim já mencionado, sua consciência foi dirigida para dentro, para construir órgãos. Ele podia ver esses órgãos, e empregou a mesma força criadora, então sob a direção das Hierarquias Criadoras, para planejar e executar os projetos dos órgãos, assim como agora a emprega no mundo externo para construir aeroplanos, casas, automóveis, telefones, etc.. Naquele tempo o homem era inconsciente de como a metade daquela força criadora se exteriorizava na geração de outro corpo.
A geração efetuava-se sob a direção dos Anjos, que em certas épocas do ano, agrupavam os humanos aptos em grandes templos, onde se realizava o ato criador. O homem era inconsciente desse fato. Seus olhos ainda não tinham sido abertos, e embora fosse necessária a colaboração de uma parceira, que tivesse a outra metade ou o outro pólo da força criadora indispensável à geração, cuja metade ele retinha para construir órgãos internos, em princípio não conhecia sua esposa. Na vida ordinária o homem estava encerrado dentro de si, pelo menos no que tangia ao Mundo Físico. Isto, porém, começou a mudar quando foi posto em Intimo contato, como acontece no ato gerador. Então, por um momento, o espírito rasgou o véu da carne, e Adão conheceu sua esposa. Deixou de conhecer-se a si mesmo quando sua consciência concentrou-se mais e mais no mundo externo, perdendo ele sua percepção interna, a qual não poderá ser readquirida plenamente enquanto necessitar da cooperação de outro ser para criar, e não tenha alcançado o desenvolvimento que lhe permita utilizar de novo e voluntariamente toda sua força criadora. Então voltará a conhecer-se a si mesmo, como no tempo em que atravessava o estágio análogo ao vegetal, mas com esta importantíssima diferença: usará sua faculdade criadora conscientemente, e não será restringido a empregá-la só na procriação de sua espécie mas poderá criar o que quiser. Outrossim, não usará os seus atuais órgãos de geração: a laringe, dirigida pelo espírito, falará a palavra criadora através do mecanismo coordenador do cérebro. Assim, os dois órgãos, formados pela metade da força criadora, serão os meios pelos quais o homem se converterá finalmente em um criador independente e auto-consciente.
Mesmo presentemente o homem já modela a matéria pela voz e pelo pensamento ao mesmo tempo, como vimos nas experiências científicas em que os pensamentos criaram imagens em placas fotográficas, e noutras em que a voz humana criou figuras geométricas na areia, etc.. Em proporção direta ao altruísmo que demonstre, o homem poderá exteriorizar a força criadora que retiver. Isto lhe dará maior poder mental e capacita-lo-á a utilizar-se de tal poder na elevação dos demais, ao invés de intentar degradá-los e sujeitá-los à sua vontade. Aprendendo a dominar-se, cessará de tentar dominar aos outros, salvo quando o fizer temporariamente para o bem deles, jamais para fins egoísticos. Somente aquele que se domina está qualificado para orientar aos demais e, quando necessário, é competente para julgá-los no modo que melhor lhes convenha.
Vemos, portanto, que a seu devido tempo o atual modo passional de geração será substituído por um método mais puro e mais eficiente que o atual. Isto também está simbolizado pela Rosacruz, em que a rosa se situa no centro, entre os quatro braços. O madeiro mais comprido representa o corpo; os dois horizontais, os dois braços; e o madeiro curto superior representa a cabeça. A rosa está colocada no lugar da laringe.
Como qualquer outra flor, a rosa é o órgão gerador da planta. Seu caule verde leva o sangue vegetal, incolor e sem paixão. A rosa vermelho-sangue mostra a paixão que inunda o sangue da raça humana, embora na rosa propriamente dita o fluido vital não seja sensual, mas sim casto e puro. Ela é, por conseguinte, excelente símbolo dos órgãos geradores em seu estado puríssimo e santo, estado que o homem alcançará quando haja purificado e limpo seu sangue de todo desejo, quando se tenha tornado casto e puro, análogo a Cristo.
Por isso os Rosacruzes esperam ardentemente o dia em que as rosas floresçam na cruz da humanidade; por isso os Irmãos Maiores saúdam a alma aspirante com as palavras de saudação Rosacruz: "Que as Rosas Floresçam em Vossa Cruz"; e por isso esta saudação é usada nas reuniões dos Núcleos da Fraternidade pelo dirigente, ocasião em que os estudantes, probacionistas e discípulos presentes respondem à saudação dizendo: "E na vossa também".




http://www.fraternidaderosacruz.org.br/endereco-de-centros-grupos.html

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Minha lista de blogs

Visualizações de página do mês passado

Páginas