sábado, 23 de abril de 2011

Exercícios – Respiração, Relaxamento e Concentração



Respiração: Técnica Iogue Completa

Aprender a respirar longa e profundamente garante ao ser humano a longevidade, de acordo com o mestre de yoga Selvarajan Yesudin é dado a cada indivíduo determinado número de respirações numa reencarnação, aquele que respira açodado e precipitadamente morre mais cedo. A natureza confirma essa teoria. Pomba 34 vezes por minuto, cachorro 28, gato 24, cavalo 16 , homem 12 e tartaruga 3.

O homem pode passar vários dias sem comer, alguns sem beber, mas sem ar ele ficará apenas alguns minutos.

A respiração é responsável pelo relaxamento total do corpo físico e ela é um dos indutores para a projeção astral.

Todo o universo vibra numa cadência, temos que ritmar nossa respiração para entrar em sintonia com o cosmo. A respiração bem feita livra o homem de doenças como ansiedade, uma respiração curta e superficial traz sentimentos como insegurança, raiva e medo.

Este exercício pode ser realizado de pé ou sentado. Comece a respiração dilatando o diafragma na parte inferior do pulmão, isso massageará os órgãos inferiores, depois expanda a parte média e por fim a parte superior do pulmão. Pode ficar um segundo com o ar preso só então comece a expelir o ar contando de 8 até 10.

“Pessoas que fumam muito tem sua capacidade de respirar muito reduzida e o corpo se acostuma a isso, quando é forçada a respiração de maneira correta neste caso se tem uma oxigenação elevada no CÊREBRO ocasionando fortes formigamentos, tonturas e até mesmo o desmaios por alguns segundos. Isso também pode acontecer com pessoas sadias que não fumam se fizerem os exercícios de maneira incorreta, tipo respirar muito rápido” –

Relaxamento

Ausência da sensibilidade do corpo físico, torpor e entorpecimento muscular.
O amortecimento do corpo físico é uma das principais condições para a realização da Projeção do Corpo Astral, que tem como causa principal a DESATIVAÇÃO DO SISTEMA NERVOSO, geralmente a ocorrência começa pelos pés.
CAUSAS: Diminuição dos batimentos cardíacos constitui o fator básico para o entorpecimento corpóreo.
Essa ocorrência ocorre de forma natural quando deitamos, porém na PROJEÇÃO ASTRAL VOLUNTÁRIA, devemos provocar pela vontade própria esse entorpecimento quando estivermos deitados conscientes (acordados). Essa anestesia natural é executada assim que entramos no estado hipnagógico e na inconsciencia.
Mas devemos frisar que para provocar pela vontade do praticante, precisa ter autocontrole sobre a ansiedade e o medo.
Essa anestesia natural atua diretamente no sistema neurológico e indiretamente no duplo etérico. Após o relaxamento que predispõe e desencaixe vem o estado vibracional (EV), sons intracranianos e a decolagem do psicossoma (corpo astral)
CUIDADOS A SER OBSERVADOS:
A) Se o relaxamento corpóreo não for completo a Projeção não se realizará.
B) Para baixar os batimentos cardíacos, é necessário o controle pausado da respiração.
C) Ordene ao seu corpo a desligar o sistema nervoso, deseje isso, enfrente esse obstáculo.
D) Comece pelos dedos, pés, pernas, joelhos, sem pressa, com calma, no máximo 30 minutos por noite ou dia, para não se tornar cansativo os exercícios.
E) Não tente fazer tudo de uma vez só. São etapas a serem atingidas, seu corpo não vai obedece-lo de uma hora para outra.
F) Consciência que uma das condições básicas para sair VOLUNTÁRIAMENTE NO CORPO ASTRAL COM CONSCIÊNCIA é o ENTORPECIMENTO DO CORPO FÍSICO.
Preparação: Antes do Início desta Técnica durante uns cinco minutos, contraia e descontraia os músculos, dedos, braços e pernas, encha o pulmão e prenda a respiração soltando vagarosamente o ar. O objetivo é você treinar o seu corpo e condicioná-lo a relaxar, vai perceber que com o passar do tempo vai diminuir essa preparação
Essa técnica consiste em relaxar totalmente o corpo físico, soltando o corpo como se ele estivesse murchando, ou afundando no colchão.
Esse processo consiste em relaxar o corpo totalmente, vai notar que aos poucos as extremidades do corpo vai desaparecendo.
Objetivo: Imobilidade total, relaxamento geral., não se mexer sobre hipótese alguma.
Inconvenientes: Tosse, pigarro, coceiras, salivamento ou o famoso engolir seco. Terá que vencer todos esses obstáculos, ceder é ter que começar tudo de novo.
Tempo: Aproximadamente 30 minutos.
Etapas: Isolamento, posição, Contrações, respiração, atenção, imaginação e seqüência.
Imaginação: Concentre-se na cabeça, esqueça o resto do corpo, faz de conta que você só tem o cérebro o resto não existe. A própria relaxamento vai trazer as etapas subseqüentes da projeção. Estado vibracional, efeito balonamento (inchaço), zumbido. Nesta altura imagine seu corpo boiando e flutuando no ar.
Observação: Não espere resultados imediatos, tudo se aprende pouco a pouco.
Obstáculos: Medo, ansiedade, impaciência, impersistência, intervalos longos entre um exercício e outro.
Auxilio externo: Um áudio com som do mar, uma música relaxante.
Quem não tiver paciência não terá como realizar essa técnica.
Concentração
 A dica  é começar a fazer um treinamento diário de concentração, por isso procure reservar pelo menos entre 5 a 15 minutos do seu dia para isso. Não aconselhamos  a tentar meditar ainda porque antes de mais nada é preciso que tenha uma concentração razoável.
A concentração é a capacidade de abstrair-se num ponto, focar um alvo e mantê-lo pelo tempo que desejar. Por isso é uma tarefa muito difícil que exige muito controle mental. Ao tentar a concentração vai notar que não conseguirá por muito tempo, pois divagará noutros pensamentos, que invadirão sua mente, sem serem convidados. A mente discursiva, tagarela não para nunca de produzir formas-pensamento.
DICA 01:
1 – Mentalmente inicie uma contagem 1 até 10 da seguinte  forma,  Sempre casando dois números extremos:
1 e 10; 2 e 9;  3 e 8;  4 e 7;  5 e 6; 6 e 5; 7 e  4; 8 e 3; 9 e 2 e finalmente 10 e 1.
Depois aumente a seqüência 1 até 20 e procure fazer chegar de 1 até 100.
2 – Mentalmente faça o mesmo só que com letras A-Z, B-X, C-V. Com nomes conhecidos por exemplo: BRASIL = B-L; R-I; A-S. Nome cuja soma seja impar sobrará a letra do meio, tente descobri-la antes de começar.
3 – Concentre-se no tic-tac de um relógio e aos poucos aumente o som de alguma música até ficar bem alto e tente continuar escutando o som do relógio.
Existem outras técnicas também mas esse texto ficaria muito longo… Uma outro dica é tentar fazer algumas posições com o corpo que exijam equilíbrio, isso irá estimular a sua concentração.
DICA 2:
Que tal também tentar uma outra maneira bem tranquila e relaxada para iniciar? Apenas sente-se confortavelmente, e não faça nada. Isso mesmo. Nada. Não focalize o pensamento em lugar algum ou em coisa alguma. Apenas sente-se e permita-se ficar alí. Fiquei como observadora de você mesma, apenas observe-se. Por incrível que pareça pode ser bem difícil no início. Comece com uns 5 minutinhos.
É a ação na não-ação budista, aonde não se apega a um objetivo para enfim alcança-lo.
DICA 3:
Um dos melhores exercícios para mim é ficar sentado no escuro olhando para uma vela acesa durante mais ou menos um minuto. Depois você fecha os olhos e a imagem da vela vai estar na sua mente, tente se concentrar nesta imagem e não deixar ela sumir. Funciona comigo e é bastante relaxante, chega-se muito perto do que deva ser a meditação.
DICA 4:
MANTRA!!!
Repetir canções como os indianos que ficam repetindo o Mantra “Om Namah Shivaya”, de preferência cantado e em uma “raga” (melodia) bem suave. O som de tambura também ajuda. Bons CDs de Mantra não são difíceis de encontrar, mas se você puder eu sugiro os de Siddha Yoga – visite um  centro de meditação Siddha Yoga.
DICA 5:
Sente-se com a coluna ereta e preste atenção no entrar e sair do ar das narinas, ou no movimento do abdômen durante a respiração. Se facilitar conte cada inspiração e expiração até 10. Se você se distrair, volte para o um. E não desanime, a gente é distraído mesmo.
DICA 6:
Encostar a ponta da língua no céu da boca…
Sentar na posição de lótus.
DICA 7:
As dicas acima são para melhorar a concentração, após passado essa etapa, todas as dicas abaixo são para a prática direta da concentração. Tente encontrar uma na qual melhor se adapte e que você terá mais facilidade:
Símbolos ou objetos: nesse tipo de concentração, fica mais fácil começar imaginando algum símbolo ou objeto simples que nao contenham muitos detalhes, quanto mais detalhes maior terá que ser a sua concentração. Ex: o símbolo do ôm, a chama de uma vela, um sol, uma lua, círculo, triângulo, etc.
Mantras e sons: nesse tipo você pode se concentrar num mantra ou em um som fica mais fácil se esse som for continuo ou repetitivo sem melodias assim você satura a mente e ela entra em meditação
Som Interiores: Uma outra técnica é prestar atenção nos ruidos internos do seu corpo, isso é bem legal com o tempo você percebe que lá dentro existe uma verdadeira orquestra sinfonica.
Exemplo: Zumbido no ouvido, respiração, batidas do coração, sangue circulando, sons estomacais.
RESPIRAÇÃO: Uma das melhores técnicas para prender a atenção é ouvir o pulmão trabalhando (encher e esvaziar)
Todos os dias surgem novas técnicas de “meditação”, prometendo relaxamento, paz interior etc.
É meditação da flor de Lótus, meditação do globo azul, meditação da luz dourada e etc.
Porém, o professor de Yoga explica que não é nada disso e as pessoas fazem uma tremenda confusão. “Isto que é chamado de ‘tipos de meditação’, são, na realidade, a preparação à meditação -o chamado dharana , que é o estado de “concentração” (Dharana é o sexto estágio do Raja Yoga).
É importante ressaltar que todas estas técnicas são importantes, pois sem a concentração é impossível chegar ao estado de meditação.
A concentração ou dharana é um exercício da mente para focá-la num único objeto, para que a pessoa possa abstrair-se e não pensar mais, só observar.
Retenção da Imagem:Relaxe, acalme sua mente, e olhe para uma vela ou lâmpada. Coloque essa luz a sua frente, a alguns pés de distância, e observe-a fixamente durante um minuto ou dois. Feche os olhos e concentre-se na pós-imagem que isso gerará atrás de suas pálpebras fechadas. Tente e mantenha a visão dela durante o maior tempo possível. Use a percepção da respiração para manter a mente limpa, enquanto faz isso. Tente e faça a imagem crescer, ao invés de desaparecer.
Fitar um ponto: Escolha um ponto na parede e olhe para ele. Não focalize-o, apenas olhe para ele gentilmente. Limpe sua mente de todos os pensamentos e mantenha-a forçosamente vazia. Concentre-se muito, na percepção da respiração enquanto estiver fazendo isso. Quando sentir um pensamento surgindo, livre-se dele, não deixe-o terminar! Mantenha isso durante quanto tempo conseguir. Faça isso diversas vezes ao dia, ou mais se puder.
Exercícios – Respiração, Relaxamento e Concentração II
Vamos continuar o treinamento da respiração, concentração e relaxamento. Bom treino nesta semana! Além disto, utilizando tais técnicas, você vai descobrir como será mais fácil a execução da viagem astral
Respiração Pranayama
A respiração é de vital importância, cujo controle e domínio afastará muitos obstáculos como preguiça física e mental, entorpecimento do corpo físico e até mesmo moléstias comuns. A respiração dá ritmo e organiza o fluxo do sangue e das energias sutis nos centros energéticos (chakras).

Pessoas que sofrem de insônia, são agitadas e ansiosas, angustiadas, desassossegadas em poucos dias alcançarão resultados curativos, já que possuem uma respiração desiquilibrada.

O suspiro na hora aflitiva é um pedido de socorro do corpo físico e dos centros energéticos.

O termo PRANAYAMA é a a união de duas palavras:
Prana: É considerada a energia vital, energia cósmica . O prana é encontrado em todos os lugares, vai onde o ar comum jamais chegaria, o prana está no mineral, no vegetal, nos animais, no espaço, extrapola ao conceito comum da matéria.
Yama: Controle, domínio, manipulação.

Portanto Pranayama quer dizer domínio do alento vital e da energia da vida.


A trajetória do ar é da seguinte forma: ao inspirar, o ar penetra no corpo pelo conduto interior das narinas, seguindo pela faringe, laringe, traquéia e tubos bronquiais. Neste trajeto, o ar, através de um processo térmico orgânico, torna-se aquecido ao nível da temperatura do interior do corpo, esse processo de introdução do ar é feito pelo diafragma que pode ser definido como um músculo estriado de forma triangular e semi-pontiaguda, amplo e delgado, e que se prolonga através da parte frontal do tórax, separando dessa forma, cavidade torácica da abdominal. O processo da respiração envolve dois sistemas físicos o circulatório e o respiratório, o ar é fundamental na oxigenação das células, ele é processa a pureza do sangue que volta venoso e por essa oxigenação volta a ser puro.

Técnica do Pranayana purificador:
Exercício revitalizador, purifica as células, tonifica a pele, equilibra o sistema nervoso.

Em pé com o corpo ereto, pernas semi-abertas , braços soltos ao longo do corpo.

INSPIRAR suavemente pelas narinas, enquanto ergue os braços formando uma cruz, dobrando-os de modo que as mãos toquem o pescoço, (continue inspirando), vá fechando até os cotovelos se unirem. Quando estiverem unidos, SOLTE O AR PELA BOCA DE FORMA EXPONTÂNEA e solte os braços voltando a forma original. Repita de 15 a 20 vezes, aproximadamente 3 vezes por semana. Os horários ideais são sempre de manhã ou de noite, para obter resultados mais profundos.

Técnica do Pranayana Concentrador:
Pranayama é um palavra sânscrita (Devanagari: प्राणायाम, prāNāyāma) e significa respiratório. Ele é o quarto ramo do Raja Yoga exposto no Yoga Sutras de Patañjali. Prana é a fonte de energia. O prana é substrato universal. Pranayama é o conhecimento e controle do Prana.

De forma sistemática Patañjali precede do revestimento externo do ser humano e procede até o mais tênue das sua camadas. Respiração e mente são interdependentes e interpenetrantes.

Pranayama para alívio da dor de cabeça





Nossa respiração influencia diretamente nosso estado mental , físico e energético.

Os Pranayamas são técnicas respiratórias originárias da Yoga e servem para restaurar a saúde, melhorar a oxigenação do sangue e reequilibrar as emoções. Esta palavra vem do sânscrito e pode significar, entre outras, Ciência da Energia.

Hoje, o post apresenta um poderoso pranayama para aliviar  dores de cabeça ou se energizar por meio da respiração.

O nariz tem um lado direito e um esquerdo; usamos ambos para inspirar e expirar.

Na verdade eles são diferentes: o direito representa o Sol, o esquerdo, a Lua.

Durante uma dor de cabeça, tente fechar a narina direita e usar a esquerda para respirar. Dentro de cerca de cinco minutos a dor de cabeça deve ir embora.

Se você se sente cansado, faça o contrário: feche a narina esquerda e respire pela direita. Num instante sentirá sua mente aliviada.

Eliminar a dispersão da mente, ajudando na capacidade de concentração, equilibra o processo mental, ajuda na postura, bom para evitar a disfunção tireóides e outros males locais. Sua prática constante abre a percepção interior. Ativador de chakras. Principalmente os mais elevados: Coronário e Frontal.

Em pé ou sentado. Adote uma postura agradável, mas sempre com a coluna ereta, mas o corpo solto e flexível, a cabeça ereta na verticalidade da coluna.

INSPIRAR profundamente pelas narinas e ao mesmo tempo pressionar o queixo com firmeza contra a garganta, reter a respiração de forma enérgica enquanto for possível e agradável e não causar incômodo ao praticante. Concentrar-se na chacra frontal, entre as sombrancelhas bem na raiz do nariz e EXPIRAR O AR DE FORMA lenta e tranqüila mantendo a posição. Fazer de 10 a 20 vezes 3 vezes por semana.

Técnica do Pranayama nádi sodhana:
Exercício respiratório perfeito. Conhecido por ser o mais completo de todos, tem a propriedade de harmonizar todo o corpo e vitalizar harmonicamente todo o corpo físico.

Nadís: São condutores de energias, e o corpo humano tem aproximadamente 72.000 em todo o corpo humano, são conhecidos como meridianos da acupuntura chinesa, tendo as mesmas características sutis.

Desses canais 3 são de energias fundamentais. Os canais da NARINA esquerda (PINGALA), da NARINA direita (IDA) e a coluna vertebral (SUSHUMA).

A narina esquerda carrega o prana lunar, NEGATIVO, a narina direita o prana solar positivo. O canal da coluna contém o FOGO ÍGNEO, onde está o canal KUNDALÍNICO. A kundalini é a energia sexual, adormecida na base da coluna.

Sodhama: Purificação, limpeza.

Portanto NADI SODHANA quer dizer LIMPEZA E PURIFICAÇÃO DOS CANAIS DE ENERGIAS SUTIL, para que estes dêem livre passagem e acesso ao prana, alinhando todos os chakras (Exercício Desbloqueador dos chakras).

- EM PÉ ou SENTADO, local apropriado, em silêncio com os olhos suavemente cerrados e os lábios naturalmente fechados ou semi-abertos .

Respire uma 3 vezes de maneira normal enchendo os pulmões e soltando o ar vagarosamente.

Use a mão direita, o dedo indicador deverá ficar acima da sobrancelha bem no meio da testa (não precisa tocar a testa, apenas forme essa concha, vai usar o polegar e o dedo mínimo para alternar numa narina e outra.

A respiração não tem fase de retenção e a expiração é sempre alternada entre uma narina e outra:

a) INSPIRAR lenta e profundamente com as duas narinas.
b) EXPIRAR da mesma forma só que pela narina esquerda, bloqueando a narina direita com o dedo POLEGAR.
c)Voltar a INSPIRAR lenta e profundamente com as duas narinas.
d) EXPIRAR da mesma forma, mas desta vez pela narina DIREITA usando o dedo mínimo para bloquear a esquerda.
e)Repetir a, b, c, d. No mínimo 30 vezes.
f) Repousar por uns instantes e reiniciar mais um bloco de 30 vezes.

Esse exercício pode ser realizado a qualquer hora do dia e não tem contra-indicações. Seus resultados serão imediatos sempre benéficos e profundos.

A respiração é de vital importância, cujo controle e domínio afastará muitos obstáculos como preguiça física e mental, entorpecimento do corpo físico e até mesmo moléstias comuns. A respiração dá ritmo e organiza o fluxo do sangue e das energias sutis nos centros energéticos (chakras).
Relaxando através da Auto-hipnose

O relaxamento é uma técnica bastante antiga (já era praticada há mais de dois mil anos pelos iogues) para aliviar corpo e mente das tensões do dia- a-dia e, desta forma, permitir que o espírito (mente) alcance a iluminação (conhecimento, sabedoria, felicidade).
No século XVIII, o farmacêutico francês Emile Coué – um entusiasta das técnicas hipnóticas – descobriu que não era necessário “hipnotizar” um paciente para induzi-lo a reagir desta ou daquela forma. Bastava “relaxar” o paciente e “fazer a sugestão”, com voz firme, decidida, para obter o mesmo resultado.
Mais recentemente, o pesquisador búlgaro Georgi Lozanov também “recuperou” a velha técnica iogue de relaxamento para levar seus alunos ao “estado de vigília relaxada”, ideal para a aprendizagem. A técnica desenvolvida por Lozanov foi denominada Sugestopedia e, de certa forma, segue o que Coué já havia descrito cem anos atrás. Cabe registrar que, através da Sugestopedia, os alunos de Lozanov conseguiam aprender uma língua estrangeira em apenas quatro ou cinco dias. Fantástico, não é mesmo?
O princípio da auto-hipnose é bastante elementar e consiste basicamente na seguinte tese: “se você memoriza, você aprende; se você aprende, você reproduz; se você APRENDE BEM, é capaz de reproduzir AUTOMATICAMENTE”.
Ora, se aprendemos melhor (e isto está cientificamente provado) quando estamos no “estado de vigília relaxada” (com o cérebro operando na faixa de 8 a 12 ciclos por segundo), e se as técnicas de relaxamento fazem abaixar as ondas cerebrais para este nível, nada melhor do que “relaxar para aprender”.
Ocorre, entretanto, que o nosso processo de aprendizagem não se limita só a informações lógicas e concretas. Somos também capazes de aprender princípios éticos, morais, regras de conduta, novos hábitos etc. Tudo isto é aprendizagem e, portanto, todas estas “informações” podem ser conduzidas ao subconsciente da pessoa em estado de relaxamento.
Hoje em dia sabemos, através de pesquisas, que o ser humano é capaz de memorizar:
10% do que lê
20% do que ouve
30% do que vê
70% do que diz de si próprio.
90% do que faz (pratica).
Ora, partindo-se destes dados não é difícil entender por que as “auto-sugestões” podem modificar radicalmente as nossas reações – somáticas e/ou psicológicas – diante de certas situações. É tudo uma simples questão de “aprendizagem”.
A hora mais indicada para aprender e exercitar o relaxamento profundo, isto é, a auto-hipnose, são os minutos antes de você adormecer.
Nesse momento, a pessoa ainda tem pleno domínio sobre a consciência ao mesmo tempo em que, lentamente, suas ondas mentais baixam de nível, situando-se em torno de 8 a 10 ciclos por segundo.
Mesmo sem esse relaxamento, em poucos minutos o consciente abre espaço à hegemonia mental do subconsciente e a pessoa dorme. O “relaxamento programado”, entretanto, abre passagem para o subconsciente antes mesmo que a pessoa durma. Isso é importante porque, durante o sono, ninguém pode dar ordens a si mesmo.
Quando você começa a ficar com sono – aquele período crepuscular entre estar totalmente acordado e totalmente dormindo – suas ondas cerebrais mudam, para ficar na faixa de 4 a 7 ciclos por segundo, ou seja, nível teta. Antes, entretanto, de você você atingir este estado, sua mente opera no nível alfa (baixo) por alguns minutos, e que segundo o Dr.Terry Wyler Webb, é a faixa apropriada para que sejam atingidos os níveis mais profundos da mente, ou seja, a mente subconsciente.
É nos estados alfa e teta que as grandes proezas da supermemória – juntamente com os poderes de concentração e criatividade – são atingidos.

Faça de acordo com este roteiro:
Recorte uma rodelinha de cartolina branca ou amarela, de dois centímetros de diâmetro, e cole na parede onde encosta a cabeceira da sua cama, a uns oitenta centímetros acima do colchão. Esta rodelinha deve ficar nesta posição para que você seja obrigado a olhar para trás durante o exercício. Isto vai forçar os músculos oculares e cansá-los em pouco tempo.
Você já está na cama, pronto para dormir. Nada mais tem a fazer; as portas já estão fechadas e as janelas isolam o excesso do barulho de fora, se bem que o barulho ininterrupto e sempre da mesma intensidade, como o do trânsito que flui lá fora, perturba menos que um despertador, a campainha do telefone ou o latido de um cão no quintal do vizinho. Mas você está pronto, as luzes estão apagadas e você está deitado, de costas; as pernas não se cruzam e os braços estão dispostos ao longo do corpo, sem tocá-lo.
Fixe então os olhos na tal rodelinha de cartolina, respire fundo duas ou três vezes e, sem jamais tirar os olhos deste ponto, pense nos seus pés. Diga a si mesmo, mentalmente, que você usou estas pernas o dia todo e ponha na cabeça que está muito cansado de uma longa caminhada que acaba de fazer. Imagine que seus pés estão cansados, pesados, parecendo de chumbo. Espere alguns instantes até sentir, realmente, seus pés pesados. Depois faça com que esta sensação de peso vá subindo pelo corpo: barriga da perna, joelhos, coxas, costas, nuca. Procure sentir que estão realmente pesados, muito pesados.
Em geral, suas pálpebras se fecham naturalmente, por si mesmas, enquanto você se concentra no sentimento de peso nas canelas, joelhos, e por todo o corpo.
Se isto ocorreu, você já atingiu a fase mais importante do relaxamento profundo. Nos primeiros dias, isso poderá levar até uns cinco minutos, porém, normalmente, isto ocorre mais depressa. Depois de algum treinamento, isto ocorrerá antes mesmo de você contar até três.
Pessoas inteligentes, disciplinadas, de grande força de vontade, mental e espiritualmente sadias são as que atingem este ponto mais rapidamente.
Esta prática, contudo, não é recomendável para pessoas com arteriosclerose acentuada ou doentes mentais. As pessoas mais jovens aprendem o relaxamento profundo em pouco tempo.
Assim que perceber os olhos fechando, diga mentalmente a si mesmo: “Da próxima vez entrarei mais depressa e mais intensamente no estado de profundo relaxamento; a cada vez que pratico o relaxamento profundo chego mais depressa e mais intensamente a este estado”.
Neste exato momento, os poros do seu subconsciente estão abertos e isso quer dizer que você pode ditar tarefas para si mesmo, tarefas estas que posteriormente se realizarão, supondo-se, naturalmente, que estas tarefas ou ordens sejam racionais, executáveis e possíveis de serem realizadas por você. Veja um exemplo de uma ordem racional e executável que pode ser dada por qualquer pessoa e realizada, posteriormente, com êxito: “Sairei consciente no Plano Astral”.
Você também pode melhorar sensivelmente a sua aparência, adquirindo até mesmo ares atraentes, dando esta ordem ao seu subconsciente : “Minha expressão é sempre jovial, meus
Seja qual for a “sugestão” que você dê a si mesmo (dentro dos limites racionais) saiba que ela será reproduzida AUTOMATICAMENTE diante das situações convencionadas. Aprenda isto: devidamente relaxado, você pode dar “ordens de cura” ou “ordens de conduta” a si mesmo, e elas serão “admitidas” pelo seu subconsciente e provocarão, conseqüentemente, mudanças importantíssimas na sua vida. Acredite nisso!


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Minha lista de blogs

Visualizações de página do mês passado

Páginas